Tag

Gestão

Browsing

Você tem um supermercado de pequeno porte e está em busca de dicas e sugestões para aumentar as suas vendas, fidelizar os seus clientes e atrair novos consumidores? Então você está no lugar certo!

Seja qual for o tamanho da sua loja – ou das suas lojas, – é fundamental que você, varejista, tenha um bom controle da gestão do seu negócio.

Como o objetivo é sempre fazer com que a sua marca seja lembrada de maneira positiva pelos consumidores, preparamos algumas dicas especiais para você, que está em busca de gerenciar um supermercado de pequeno porte – ou minimercado – com maestria. Confira!

5 dicas para gerenciar um supermercado de pequeno porte

1. Tenha uma equipe engajada e bem treinada 

Oferecer um bom atendimento e contar com colaboradores proativos, eficientes e dispostos a ajudar é muito importante para sua marca ter sucesso. Acredite: este cuidado fará toda a diferença para os clientes voltarem a comprar contigo.

Por isso, escolha bem as pessoas que farão parte do seu time. Ainda, invista em um treinamento adequado e constante para o seu time. Ademais, lembre-se que mesmo que você seja o gestor do negócio, você sempre precisará de outras pessoas para manter o negócio andando. Assim sendo, escolha bem esses colaboradores. 

2. Conheça os seus clientes 

Para o supermercado de pequeno porte decolar, assim como em qualquer negócio, é essencial que você conheça muito bem os seus clientes. Afinal, somente assim você será capaz de oferecer o que eles querem, na hora que eles querem.

Neste cenário, usar a tecnologia a seu favor pode ser de grande auxílio. Ferramentas completas e integradas, como a de Gestão de Clientes oferecida pela Mercafacil, pode te auxiliar a fazer milagres pelo seu negócio!

Com ela, você passa a identificar o seu faturamento e saber quem são os seus clientes fieis. Também, pode desenvolver ações segmentadas de relacionamento e de promoções que tragam muito mais lucro para o seu negócio. 

3. Foque na organização e na limpeza

Agora você já tem uma equipe engajada e sabe muito bem quem são seus clientes, certo? Então, é hora de focar na organização e na limpeza do seu supermercado de pequeno porte.

Esses cuidados são essenciais na hora de causar uma boa experiência de compra para o seu cliente. Lembre-se que os preços e valores dos produtos variam com o tempo, mas a experiência que você faz o seu consumidor sentir permanece com ele.

Assim sendo, se ele tem uma má impressão ao visitar o seu minimercado, é possível que ele não volte a fazer compras lá. Evite essa questão e invista em um negócio limpo e organizado.

Cuide com a disposição dos produtos, deixando os fáceis de serem encontrados e com os rótulos sempre virados para frente. Também, aposte em uma iluminação e em uma decoração que valorizem o seu negócio.

Se coloque no lugar no seu cliente e pense o que você gostaria de encontrar ao ir até um supermercado.

4. Escolha bem o seu mix de produtos 

Você já conhece bem os seus clientes e está mantendo as lojas organizadas… Então, é hora de focar no mix de produtos que serão comercializados no seu negócio.

Assim, para gerenciar o seu supermercado de pequeno porte, conheça as marcas e produtos preferidos dos seus fregueses. Também, preste bastante atenção na questão dos prazos de validade, para que não sejam cometidos erros nesse quesito.

Quando possível, você pode inclusive fazer uma campanha segmentada altamente assertiva, escolhendo a dedo quais serão os produtos ofertados. Também, para quais clientes essas ofertas serão enviadas.

Esse tipo de ação, quando bem feita, vai levar clientes “relevantes” para a sua loja. Ou seja: clientes que realmente compram do seu supermercado. O resultado provavelmente será positivo, já que há a chance dos clientes levarem também outros itens para casa.

Assim, o seu supermercado de pequeno porte sai no lucro, pois realiza mais vendas, e o cliente também fica satisfeito, pois sabe que é valorizado pela sua marca.

5. Mantenha-se antenado

Os hábitos de consumo estão sendo alterados com o passar do tempo. Assim, para você acompanhar essas mudanças e sair na frente dos concorrentes, é muito importante estar por dentro das tecnologias na sua área.

Neste cenário, confira se há ações que podem ser automatizada. Ainda, faça uma boa gestão de redes sociais e confira quais são os outros canais de comunicação mais utilizados e queridos pelos seus clientes.

A tecnologia, quando bem utilizada, pode te ajudar a poupar tempo e dinheiro. Isso tudo, ao mesmo tempo em que traz mais resultados e ajuda a estreitar o seu relacionamento com o público

Não obstante, mantenha-se ligado nos seus concorrentes, analisando o que eles têm feito pensando no que você pode fazer para trazer ações ainda mais impactantes.

Gostou do conteúdo, mas não sabe por onde começar a fazer o gerenciamento do seu supermercado de pequeno porte? Então entre em contato conosco agora mesmo e agende uma reunião gratuita com os nossos especialistas do varejo.

Fazer o controle e a gestão de jornada dos colaboradores é obrigatório em qualquer empresa de mais de 10 funcionários, de acordo com a legislação do Ministério do Trabalho (MTE). 

No ramo do varejo, é possível encontrar alguns desafios para essa rotina: jornadas com horários e durações diferentes, cargos que realizam mais horas extra do que outros e grandes equipes, por exemplo.

Por isso, pensamos em algumas dicas para quem quer organizar a jornada de seus colaboradores e controlar melhor os horários e encargos relacionados. Vamos lá?

Mas o Que São Escalas de Trabalho?

De acordo com a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), a escala de trabalho é o período em que o colaborador está atuando em função da empresa. Como previsto na legislação, essa carga horária não pode ultrapassar 8 horas diárias e 44 horas semanais. 

Para o varejo, é comum que sejam criados turnos de revezamento entre os funcionários. Desse modo, é possível manter todos os horários de funcionamento bem equipados para o atendimento sem descumprir com a lei ou infringir o direito dos colaboradores.

Escalas de Trabalho para Lojas, Supermercados e Demais Empresas Varejistas

Fazer o planejamento das escalas de trabalho de cada funcionário ajuda a ter uma visão completa da empresa e de seu funcionamento. 

Lembre-se que: horas trabalhadas em domingos e feriados devem ser remuneradas em dobro e não podem acarretar nenhum prejuízo à remuneração do descanso semanal, independentemente da escala que seja adotada pela companhia.

Nas empresas do ramo de varejo, existem algumas possibilidades de escalas de trabalho que podem ser consideradas:

Escala 5×2

Essa é a jornada de trabalho mais comum: a cada cinco dias trabalhados, são concedidos dois dias de descanso ao colaborador.

Nesse caso, o total de 44 horas semanais é dividido em 5 dias com jornada de 8 horas e 48 minutos por dia. No caso das jornadas de 40 horas semanais, são realizadas somente 8 horas por dia. 

Escala 5×1

Já no modelo de escala 5×1, o empregado trabalha por 5 dias corridos e folga 1 – com direito a 1 domingo de descanso por mês.

Para os colaboradores que realizam essa jornada de trabalho, a carga horária é de 7 horas e 20 minutos por dia.

Escala 6×1

Esse tipo de jornada de trabalho institui que o funcionário trabalhe 6 dias e tenha 1 de descanso. A escala de trabalho 6×1 permite variações, desde que sejam acordadas com o sindicato e/ou coletivos.

Quem adota essa escala deve lembrar que os colaboradores que trabalham nos finais de semana não tem a hora dobrada aos domingos, como em outros modelos de escala. Além disso, vale ressaltar que o empregado tem direito a 1 domingo de folga a cada 7 semanas

Como Fazer o Controle e a Gestão de Jornada dos Funcionários no Varejo?

Com tantas opções de escalas de trabalho, realizar o controle e a gestão de jornada dos colaboradores é fundamental para não ter problemas com a folha de pagamento ao final do mês.

Para isso, você vai precisar que o funcionário realize a marcação do ponto em alguns momentos específicos da rotina de trabalho. São elas:

  • Ao chegar na empresa, ou seja, o registro de horário de entrada;
  • Quando sair para o almoço, que marca o início do intervalo intrajornada obrigatório;
  • Ao voltar do horário de almoço;
  • Quando sair da empresa, no final do expediente, delimitando o fim da jornada diária.

Além dessas marcações, algumas empresas solicitam que os colaboradores registrem os intervalos menores que são realizados ao longo do dia. Isto não é muito comum no varejo, mas é bastante solicitado em empresas de call center, por exemplo.

Seja qual for o modelo de jornada escolhido para a sua companhia, o ideal é realizar um controle de ponto que seja prático e sem burocracias. Conheça alguns modelos abaixo:

Controle de Ponto Manual

É um dos modelos de controle de ponto mais comuns. Geralmente, utiliza-se um livro ou caderno para que os colaboradores façam as marcações de entrada e saída, bem como os intervalos de trabalho.

O controle de ponto manual vem sendo cada vez menos utilizado, pois gera muito trabalho para o fechamento de ponto e da folha de pagamento ao final do mês. Além disso, ele é passível de fraudes e rasuras – itens que podem gerar penalizações no Ministério do Trabalho.

Relógio de Ponto

O relógio de ponto também caracteriza um controle manual. Porém, é realizado com a ajuda de uma máquina, que deve ficar na empresa – de preferência na entrada. Com o relógio do ponto, o funcionário insere o cartão ponto de papel para que o colaborador possa registrar seus horários de entrada e saída.

Essa modalidade de controle de ponto não costuma ser muito vantajosa, pois traz diversos gastos para a empresa. É necessário que o relógio de ponto fique ligado o tempo inteiro na tomada, o que consome bastante energia elétrica. Além disso, há também o gasto com a aquisição de novos cartões ponto todo mês.

Controle de Ponto Online

A gestão de jornada via softwares de controle de ponto online é a maneira mais prática e moderna de realizar o seu fechamento de ponto mensal.

Com ele, o funcionário realiza a marcação diária de ponto via smartphone, tablet ou no próprio computador. É possível viabilizar que o colaborador realize a atividade no seu próprio celular ou em um computador ou tablet disponibilizados pela empresa, por exemplo.

O software de ponto online permite que os gerentes e o RH acompanhem a jornada de trabalho dos colaboradores em tempo real. Além disso, é possível configurar as diferentes escalas de trabalho escolhidas para cada funcionário com maior facilidade, pois o sistema automatiza essa criação.

Outro ponto vantajoso do sistema de ponto online é o acompanhamento das horas extras, faltas e atestados. Toda a comunicação é otimizada na plataforma, para que os gestores e o setor de Recursos Humanos não tenham muitos desafios na hora de realizar o fechamento do espelho ponto.

Viu como o controle e a gestão de jornada dos colaboradores pode ser simplificada? Use a tecnologia a seu favor e garante maior praticidade para a sua empresa!

Esse artigo foi escrito por Alice Maneschy, Analista de Conteúdo da Pontomais

Concorrência, preços, qualidade do produto, novas tecnologias, mudanças de hábitos, estes e inúmeros outros quesitos impactam diariamente na decisão do consumidor. 

O empresário que não estiver atento a todos os fatores que levam o cliente às compras ou à escolha de uma determinada loja pode perder vendas, clientela e faturamento.

 O comerciante deve se manter receptivo às novidades do setor para não deixar seu varejo ficar para trás e acabar perdendo espaço para a concorrência. 

No caso dos supermercados, a automação, os serviços diferenciados, restaurantes e lanchonetes internas e os alimentos prontos são tendências para estabelecer um negócio moderno. Outra que chega forte ao setor é a adoção do retail design.

Acompanhe a nossa publicação de hoje para saber mais sobre esse assunto.

Conheça o Retail Design

Retail design ou design de varejo é o conceito em que a arquitetura, a operação de varejo e a identidade visual são planejadas de forma integrada. O objetivo é proporcionar ao cliente uma experiência de compra satisfatória e otimizar as ações operacionais, com consequente economia de custos.

Aplicação prática do design de varejo

A modalidade é diferente de um projeto de arquitetura e decoração normal. Neste conceito, operação, identidade arquitetônica e identidade da marca são planejadas de forma integrada, para criar uma experiência marcante no consumidor.

O conceito dá personalidade ao negócio, fazendo com que ele tenha um significado para o cliente. A ferramenta é utilizada para que todos os potenciais da marca ou loja sejam utilizados e, assim, fidelize o consumidor.

“O empresário que não tiver o cuidado de proporcionar ao seu cliente uma boa experiência de compra está fadado a perder espaço, clientes, vendas e faturamento. O consumidor está cada vez mais informado e exigente e o cenário para as vendas do varejo tem mudado muito nos últimos cinco anos”, aponta o publicitário Danilo Rondinelli, um dos sócios da Total Varejo, empresa especializada em retail design.

O publicitário destaca que todo empresário ou comerciante precisa estudar e conhecer bem o negócio, seja no momento em que vai inaugurar uma loja ou quando for fazer uma ampla reforma.

“Importante conhecer a jornada de compra do cliente, entender a experiência de venda. Analisar qual é ou será o seu público, quais as limitações operacionais, tipos de produtos que terá à venda. A partir daí, construir um layout onde o consumidor sinta vontade de estar e comprar, sem nem mesmo saber explicar as razões”.

A loja deve estar organizada, os produtos devem estar expostos de forma que o consumidor possa percorrer o ambiente e conhecer o contexto sozinho, sem a necessidade de um atendente, otimizando a equipe de trabalho.

O conceito atinge também os funcionários, que se sentem mais confortáveis, dispostos e valorizados por trabalharem em um lugar pensado, projetado, bonito e organizado.

Valorização dos sentidos ao consumir 

Fatores ligados ao comportamento humano também influenciam o consumidor na hora da compra.

Por exemplo, todas as pessoas entram em um estabelecimento comercial pelo lado direito e fazem suas compras no sentido anti-horário, ou seja, da direita para a esquerda. 

Isto é explicado pela neurociência e a informação é usada pelo neuromarketing, conceito que trabalha o comportamento do consumidor. O cérebro se apega a cores, sons, texturas, cheiros e tudo que gere, de alguma forma, sentimentos e emoções. 

Baseado nisso, quais sentimentos o supermercado, loja ou comércio está passando para os clientes? 

Como o cérebro toma as suas decisões de forma inconsciente? Estimular esses sentidos faz toda a diferença na hora de o consumidor definir a compra.

No caso dos supermercados, essa sensação fica ainda mais aguçada, já que se trata da venda de alimentos e outros produtos perecíveis, onde organização, limpeza, higiene e visual têm ainda mais força. 

“Iluminação, apresentação do produto, organização, tudo isso tem um impacto no momento da compra. E é aí que o retail design entra, porque consegue administrar todos estes elementos de forma integrada, com a organização e disposição dos produtos e dos espaços disponíveis”, explica o publicitário.

Seguindo a lógica de compra do consumidor, um supermercado que tenha sua entrada pelo lado esquerdo, quando deveria ser pela direita, já está começando de forma equivocada, provocando um desconforto ao cliente, uma confusão que faz com que a experiência de compra não seja confortável. A loja deve ser balanceada já pensando no trajeto que o cliente percorrerá.

Opinião do especialista

Danilo Rondinelli explica que o momento de compra dentro do supermercado segue uma lógica e a disposição dos produtos deve seguir essa linha: na entrada temos os hortifrútis, porque é o momento em que o cliente está mais tranquilo e com mais disponibilidade para procurar e selecionar o produto, que exige tempo; em seguida vem a mercearia, padaria, açougue, com a compra sendo finalizada no setor de bebidas e sorvetes, produtos que requerem refrigeração.

 Assim, o consumidor deixa para o momento de finalização da compra, para que o produto não fique muito tempo fora da refrigeração.

“O retail design influencia na lógica de compra do cliente, considerando a jornada de compra dentro do supermercado, visando criar uma experiência de compra mais tranquila, sempre envolvendo o cliente no ambiente, potencializando e utilizando cada metro quadrado da loja nesta experiência de compra”, reforça o publicitário.

Caso de sucesso com o Retail Design

Empresários que investiram em um novo conceito e layout para suas lojas, usando retail design, apontam aumento no faturamento de mais de 30%. 

É o caso do Sorriso Supermercados, na cidade de Sorriso (MT), que após 38 anos de atuação passou por uma ampla reforma. 

“O projeto foi ousado, até fiquei com medo quando vi, mas o resultado foi incrível, não tem quem não fique admirado, os clientes adoram. Mudou tudo, espaços, áreas de venda, iluminação. Em menos de um ano da reforma, nosso faturamento cresceu 30%”, relata a empresária Ana Paula Albert Soares.

Não é somente na parte de loja que o retail design entra, mas na organização dos estoques também. Por falta de conhecimento, alguns estabelecimentos chegam a ter vários espaços para estoques, o que demanda um número maior de colaboradores e tempo. 

Utilizando o conceito, o estoque pode ser otimizado em um espaço só, economizando tempo, otimizando a operação e exigindo um número menor de colaboradores.

As empresas também erram quando investem na ambientação e apresentação correta, mas deixam de lado o bom atendimento e um produto de qualidade. 

Estes dois itens são essenciais para que o cliente tenha uma boa experiência com o negócio. É fundamental o estabelecimento estar integrado com a qualidade do produto e do atendimento.

Nas últimas duas décadas houve uma grande mudança industrial proveniente da revolução da era digital. Consequentemente, vemos uma mudança no comportamento do consumidor.

Sobretudo, com a velocidade da informação e dos novos desejos de compra do consumidor, a disputa pela atenção das pessoas está cada vez mais acirrada, porque há muito conteúdo nos impactando ao mesmo tempo.

O que antes demorava porque o consumidor buscava informação na loja física, fazia contato com o vendedor, comparava preços e definia sua compra, hoje o consumidor tem acesso a tudo na palma da mão.

Como resultado, novo hábitos de compras estão surgindo. 

Hoje o consumidor tem a possibilidade de escolher qual produto adquirir.

Isto é, ele simplesmente entra na internet e faz uma pesquisa sobre o que deseja e logo sabe onde encontrar, por quanto aquele produto costuma ser vendido, como funciona.

Por consequência, praticamente todas as empresas se encontram obrigadas a mudar a estratégia.

E o mais interessante de tudo isso, é a possibilidade de interagir mais ativamente com o consumidor e escutar com clareza suas necessidades. 

Para que a venda seja garantida, os empresários precisam entender os interesses, as dores, os valores e o comportamento de clientes.

Em síntese, é necessário habituar-se à jornada de compra dele para se conectar, gerar valor e benefícios.

Desta forma, estar ausente no ambiente online tem se mostrado ser prejudicial às empresas. Os negócios que não estão inseridos nesse meio perdem voz diante do público. 

Dados de mercado

De acordo com a pesquisa Brasil Supermercados Online estima que, em 2023, o mercado brasileiro poderá movimentar R$ 48,65 bilhões. 

O universo de consumidores brasileiros que compram itens de supermercado pela internet é de 15%, sendo que a classe que mais compra desta forma é a A (19%) e a que menos compra é a B1 (11%). A constatação é de um estudo de abrangência nacional, da Associação Paulista de Supermercados (Apas), por meio do Painel Conecta do Ibope Inteligência. 

O estudo também revela outros dados sobre o comportamento do consumidor: 68% das pessoas que compram itens de supermercado pela internet dizem que fazem isso pela “maior variedade de produtos”.

Já o segundo motivo mais comentado foi que comprar via internet é “mais barato do que na loja física” (67%), seguido por “mais fácil de comparar preços das marcas” (57%), “sempre tem o que procura” (49%), “não tem tempo para ir às lojas físicas” (23%) e, por último, “pode agendar a entrega” (22%).

Nesta etapa da pesquisa, as pessoas tiveram que assinalar as três razões mais importantes para elas. 

Como se adaptar ao novo comportamento do consumidor: 

  • Tenha comodidade nas compras;
  • Variedade de produtos;
  • Utilize- se de influenciadores;
  • Facilidade de escolha;
  • Melhores formas de pagamento;
  • Promoções e ofertas; 
  • Priorize a otimização do tempo;
  • Realize a distribuição de conteúdo multiplataformas;
  • Utilize-se de vídeos para divulgação do seu negócio;
  • Tenha programa de fidelização. 

E agora depois de tudo que você acabou de ler, como está a sua adaptação aos novos hábitos de compra e ao comportamento do consumidor? Já coloca em prática algumas dessas adaptações? 

Conheça a Mercadapp, uma plataforma de E-commerce que pode te ajudar nessas adaptações!

Site: https://www.mercadapp.com.br/

Instagram: @mercadapp 

Deixe aqui nos comentários se você fez alguma adaptação diferente das que falamos aqui. 

A prevenção de perdas nos supermercados é um trabalho constante para os supermercadistas. Isso acontece, pois as perdas significam prejuízos para a loja e certamente não é isso que você quer.

Um estudo do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo (IBEVAR) mostrou que as perdas com mercadorias em estoque chega a 2%.

O impacto dessa perda é bem relevante, não é mesmo?

Descubra no post de hoje como você pode trabalhar com dados de compra dos seus clientes para diminuir esse prejuízo.

Todos pela prevenção de perdas nos supermercados 

Para resolver todo problemas é preciso primeiro identificá-lo, depois entender as possíveis razões e por fim buscar soluções.

Esse é um processo que busca além de resolver o problema do momento, busca evitar que ele seja recorrente na sua loja.

É importante ressaltar que não é o momento para encontrar culpados, mas sim pontos que precisam ser melhorados. Isso acontece, pois até chegar ao estado de perda o produto passou por diversos setores e algo poderia ter sido feito preventivamente.

Outro fator relevante para essa análise também são as perdas previsíveis e também aquelas que não sob o seu controle, como é no caso dos furtos, por exemplo.

Já quando se trata de perdas previsíveis é que você precisa se manter ainda mais atento, como com os produtos vencidos, por exemplo.

É sobre esse tipo de situação que iremos falar a seguir e formas para que você tente minimizar ou até mesmo acabar com essa situação no seu supermercado.

Trabalhando com a prevenção de perdas nos supermercados

Trabalhar as perdas de maneira completa é fundamental para que os seus resultados sejam cada vez melhores. Porém, existem ações que podem ser mais simples de resolver como é no caso das perdas previsíveis, especialmente o vencimento de produtos.

Essa é uma situação que pode ocorrer por diversos motivos, confira alguns exemplos:

  • Gestão de estoque inexistente ou mal executada;
  • Compra em excesso de produtos;
  • Erro na precificação dos produtos;
  • Falta de ações que impulsionem as vendas de determinado produto ou setor.

Independente de qual for o motivo, o mais importante é encontrar formas para resolver essa situação, não é mesmo?

O uso das informações de compra dos seus consumidores pode ser uma excelente ferramenta para isso. É claro que além disso, você irá precisar ter em mãos as informações do seu estoque quais são os produtos estão próximos do vencimento.

Com esses dados em mãos a Solução Mercafacil pode ser de extrema relevância para resolver as perdas da sua loja.

Imagine que você tem uma grande quantidade de cervejas próximas do vencimento e precisa comercializá-las rapidamente. O que geralmente é feito é uma promoção geral na loja com preços bastante atrativos.

Porém, uma promoção direcionada para os clientes que já  compraram esse itens pode ser muito mais efetiva, não é mesmo?

Com a plataforma Mercafacil você torna isso possível e pode começar a aumentar suas vendas agora mesmo! 

Isso acontece por meio de uma segmentação desses consumidores criada pela plataforma. Após isso, é só disparar a sua campanha para os clientes certos e medir os seus resultados.

Já é cliente? Entre em contato com o seu consultor e prepare a sua campanha.

Ainda não é? Agende uma reunião com um de nossos especialistas e descubra como você pode mudar o futuro da sua loja.

Todo empreendedor varejista que visa alcançar o sucesso, precisa estar ciente da importância da gestão de pessoas para o seu negócio. Gerenciar pessoas é uma atividade complexa, que necessita de uma atenção especial.

A função da gestão é administrar comportamentos e fortalecer o capital humano dentro das organizações. Por meio dela, consegue-se atingir um entendimento maior do próprio negócio.

Incluindo todas as etapas envolvidas, desde procedimentos internos, como controle de estoque e funções administrativas, até o relacionamento com clientes.

Hoje, o papel da gestão de pessoas ocupa um lugar estratégico nas organizações. Ela está diretamente ligada a estratégias de venda, fidelização de clientes, benchmarking, entre outras ações.

Atuação da gestão de pessoas no varejo

Muito se fala em atender os clientes com excelência e proporcionar uma boa experiência de compra. Mas qual atitude você tem tomado para melhorar essa questão na sua loja?

Em algumas situações os varejistas imaginam que precisam buscar soluções externas para resolver isso. Porém, na prática isso não é verdade.

Trabalhar internamente uma ação com seus colaboradores pode trazer um impacto positivo na experiência dos consumidores no seu supermercado, por exemplo.

Antes de pensar no seu público é fundamental pensar na sua equipe. São eles que estarão irão executar funções que vão impactar as compras na sua loja.

Então, nada mais justo do que investir seu tempo e recursos em melhorar seu supermercado internamente.

Com colaboradores mais capacitados, felizes e engajados a tendência é que seus resultados sejam cada vez melhores.

Transforma dados em inteligência de mercado

Ter produtos de qualidade, contratar bons colaboradores e manter sua loja organizada são requisitos fundamentais para atrair clientes.

Porém, para criar estratégias de fidelização para esses clientes e ter um diferencial em relação à concorrência, é preciso conhecer a fundo o próprio negócio, o perfil do seu público e as necessidades deles.

Nesse sentido, informações são como ouro, pois permitem que todas as campanhas realizadas pela empresa, por exemplo, clubes de descontos em supermercados, sejam baseadas em informações reais, tornando-se mais assertivas.

A inteligência competitiva é uma característica que a Gestão de Pessoas pode trazer para o seu negócio, otimizando dados e aumentando o potencial de mercado a partir deles.

Essa função consiste em decifrar o valor estratégico de dados, evitando assim a perda de clientes para concorrentes.

Oferece um conhecimento real sobre a concorrência

Outra ferramenta de gestão com grande importância no mercado de varejo é o benchmarking. Ele analisa a performance da empresa em comparação às concorrentes do mesmo setor, comparando processos e caminhos percorridos pelas mesmas.

Muitas pessoas acreditam que não é necessário saber o que o outro está fazendo.Todavia, ao conhecer esse tipo de informação, a empresa passa a conhecer também o que seus clientes e potenciais clientes estão tendo acesso.

Esse tipo de conhecimento torna-se valioso à medida que atualiza a organização no mercado, dando acesso a tendências e elementos que podem ser alterados para melhorar as vendas.

Realizar esse tipo de trabalho exige treinamento qualificado e também um olhar atento de quem executá-lo. Essa prática pode trazer insights interessante não apenas do ponto de vista de negócio, mas também de questões internas.

Entender a forma como atendimento dos concorrentes é feito e como as empresas se relacionam com seus colaboradores são outros ponto que podem ser analisados nessa tática.

Sem dúvidas fazer uma análise dessas informações pode trazer grandes proveitos para sua loja, sua gestão e seus resultados.

A gestão de pessoas atrai e retém talentos

A organização que investe em gestão, automaticamente, está investindo na captação e retenção de talentos, pois através de um gerenciamento eficiente do capital humano, ela está trabalhando a sua reputação nos quesitos empregabilidade e qualidade de vida.

Na Gestão de Pessoas, a motivação dos colaboradores é um dos motores para a produtividade. Relações pautadas no poder e na persuasão são substituídas hoje por equipes trabalhando em conjunto, visando a um bem coletivo.

A felicidade dos colaboradores reflete diretamente no atendimento com clientes e na execução de tarefas. Caso ele esteja insatisfeito esse pode ser forte fator que pode comprometer com os resultados da empresa.

Logo, para conseguir uma fidelização de clientes é preciso pensar, também, nos processos internos que irão refletir nas ações a curto e longo prazo. Isso acontece, pois somente uma equipe sólida é capaz de alinhar seu desempenho com os objetivos da empresa.

Dicas para melhorar a gestão de pessoas na sua loja

Pensar em estratégias para melhorar os resultados sem dúvidas é um tarefa diária para os supermercadistas. E investir em gestão de pessoas pode ser uma das principais formas de alcançar isso.

Já que uma equipe capacitada pode colocar táticas em prática corretamente e melhorar a experiência de compra, por exemplo.

Vale ressaltar que também não se trata apenas aumentar as vendas e obter mais lucros. Essas são questões fundamentais para as empresas sim, mas não são as únicas.

Se preocupar com as pessoas e no ambiente dentro do seu negócio também tem grande relevância na consolidação da sua marca.

E você pode começar a melhorar essa situação na sua loja agora mesmo com algumas ações simples.

Comunicação interna

Seus colaboradores são parte de extrema importância em toda sua estratégia de negócio. Então, porque não deixá-los cientes do que está acontecendo na empresa?

Comunicar mudanças na operação e implementação de novas estratégias, são bons exemplos. Ainda mais importante do que isso, é que essa comunicação seja clara e que alcance toda a sua equipe.

Uma ação como essa certamente pode fazer com que os seus funcionários se sintam valorizados e parte da empresa.

Treinamentos

Tão relevante quanto saber exatamente a função que irá desempenhar é estar capacitado para ela. Essa é uma questão que certamente pode fazer a diferença nos resultados alcançados.

O colaborador precisa estar 100% preparado para atender as demandas que possam surgir. Caso contrário, ele pode se deparar com uma situação que se reflita em uma experiência ruim para ambos, por exemplo.

Seguramente não é isso que você deseja oferecer tanto para seus consumidores quanto para os colaboradores. 

Endomarketing 

Proporcionar um bom ambiente de trabalho é o mínimo que uma empresa pode oferecer. Porém, esse ponto pode ser melhorado com a implementação de algumas ações.

Você pode utilizar data de aniversário deles, por exemplo, para colocar em prática uma ação.

Não é preciso ser nada extravagante, mas mostrar que você se importa com seus funcionários já é o suficiente.

Além disso, valorizar as conquistas deles também é algo bastante interessante para a equipe como um todo.

Você pode comunicar quando um funcionário for promovido para uma nova função. Dessa forma todos verão que é possível crescer dentro da empresa e isso tende a aumentar o empenho de todos para alcançar novas posições.

Outra opção é parabenizar pelos bons serviços prestados ou quando uma equipe bater alguma meta estipulada.

Construir esse ambiente agradável certamente é um ótimo primeiro passo para sua empresa ter sucesso.

Quer saber mais sobre o porquê da gestão de pessoas ser tão importante para o varejo? Siga nossa página no Facebook e tenha acesso a mais conteúdos como esse!

Os clubes de descontos têm sido cada vez mais aceitos pelos consumidores dos supermercados brasileiros.

No entanto, para que essa estratégia funcione, é fundamental incentivar o engajamento da equipe. Só assim ela pode ser eficiente o bastante para aumentar o faturamento do seu supermercado.

Acompanhe o post de para entender como o clube de descontos pode aumentar as vendas. Além disso, traremos dicas para preparar seus funcionários para trabalharem com essa estratégia. Confira!

Vantagens do clube de descontos

Os clubes de descontos consistem no oferecimento de vantagens a determinados clientes mediante um cadastro inicial. 

Em geral, esses benefícios são descontos exclusivos em determinados produtos oferecidos pelo próprio supermercado ou em estabelecimentos parceiros, por meio de sistemas de pontuação.

Para o supermercado, os cadastros permitem conhecer os dados dos clientes, como hábitos de consumo e formas de contato. Esses que serão valiosos para a criação de estratégias de marketing mais certeiras. 

Além disso, o clube tem um papel importante na fidelização dos clientes, que tendem a retornar para aproveitar mais descontos.

Vale lembrar que existem outras programas capazes de captar as informações dos consumidores.

A escolha pelo clube de descontos deve se dar para aqueles que desejam entregar um benefício imediato para o cliente.

Essa vantagem já no momento da compra pode inclusive facilitar o cadastro de quem vai até a sua loja.

Como já falamos, obter informações dos clientes também pode ser importante para melhorar suas estratégias.

Consequentemente quanto mais dados disponíveis, maiores podem ser as variações de ações criadas, não é mesmo?

Esse é mais um motivo para criar um clube de descontos, já que é um método que tende a ter uma aceitação maior por ser mais simples de ser mensurado.

Afinal, em cada compra o consumidor pode ver o quanto economizou por comprar produtos que faziam parte do clube e ter se identificado no caixa.

O Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Continuada (IFEPEC) realizou uma pesquisa com os consumidores sobre os programas de fidelidade.

Nela foi constatado que 92% dos entrevistados gostam ou gostariam de fazer parte de um programa como esse.

Além disso, 67% dos consumidores responderam que valorizam esses programas no segmento de supermercados.

Uma grande oportunidade não é mesmo? Confira nossas dicas para que você deixe essa chance passar em branco.

Estratégias para aumentar o engajamento da equipe

Uma vez que o cadastro é o primeiro passo para ter um clube de vantagens, é fundamental que a equipe se empenhe em cadastrar o maior número de clientes possível. 

Afinal, são eles que têm contato direto com os consumidores e uma influência direta na experiência que os clientes têm no seu supermercado.

Quanto mais dados você puder reunir sobre os hábitos de consumo dos clientes, mais embasadas estarão suas próximas estratégias de marketing e retenção de clientes.

Veja nossas dicas para ajudá-lo a engajar sua equipe nesse projeto.

Treine os funcionários

Você não pode esperar que os funcionários acrescentem uma nova atividade à sua função, com eficiência, sem ensiná-los como fazer isso.

O treinamento deve deixar claro a importância do seu empenho para o clube de descontos e como essa estratégia está relacionada ao sucesso do supermercado.

Muitos clientes evitam cadastros desse tipo. Portanto, o treinamento também precisa focar nos protocolos de abordagem aos clientes para melhorar a comunicação no atendimento e tornar a proposta do cadastro sedutora. 

A ideia principal é fazer com que os consumidores enxerguem as vantagens de se cadastrarem no clube.

Então, para que isso ocorra é preciso que os colaboradores entendam a estratégia por completo. Desde os benefícios que a loja terá com esse programa até as vantagens para o consumidor.

Dessa forma, eles estarão totalmente preparados para responder possíveis questionamentos e também “vender” o cadastro para os clientes.

Aponte um líder

Toda equipe tem aquele membro mais responsável e engajado. Permita que ele ajude a motivar os outros funcionários, elegendo-o líder do programa. 

Por também estar empenhado nesse trabalho, ele poderá alertá-lo sobre os problemas da estratégia, servindo de canal de comunicação entre você e o restante da equipe.

Essa também pode ser uma ideia interessante para buscar um padrão de contato com o consumidor.

Promover reuniões para os colaboradores debaterem formas que tem sido mais efetivas na abordagem pode ser uma boa opção.

Assim, você pode aumentar o número de clientes cadastrados e também tornar os trabalho dos seus colaboradores mais eficiente.

Estabeleça metas

A principal função de uma meta é permitir que o funcionário perceba o quão satisfatória está sua performance. Sem metas, a equipe não saberá se está se saindo bem ou mal.

Então, não deixe de estabelecer metas realistas para a quantidade de novos cadastros, sempre levando em conta o fluxo de clientes do supermercado.

Aqui na Mercafácil, por exemplo, temos um caminho do sucesso com a porcentagem de cadastros ideal conforme o tempo de clube.

Avalie o desempenho da equipe

Ao fim de cada semana, conte com o líder os cadastros obtidos por cada funcionário e os analise em relação às metas. 

Esse é um bom termômetro para avaliar tanto a abordagem ensinada no treinamento quanto o empenho individual dos membros da equipe.

Avaliar o desempenho também é essencial para saber se a meta será alcançada ou se é necessário algum ajuste ou mesmo um novo treinamento.

Recompense boas performances

Provavelmente captar cadastros não será a principal função dos seus funcionários. Por isso, é muito importante que eles se sintam motivados a cumpri-la além de tudo aquilo que eles já fazem no supermercado.

Uma boa forma de motivá-los é oferecer recompensas para as metas batidas, seja em produtos específicos, cesta básica ou vale-compras.

Tendo isso em mente, fica fácil perceber como o engajamento da equipe está ligado ao sucesso do clube de descontos. 

Essa estratégia só pode amadurecer com amplo alcance, tornando-se mais poderosa a cada novo cliente no clube. Devido a isso, para que ela seja bem-sucedida sua equipe precisa estar motivada a cadastrar clientes.

Seguindo as dicas de hoje, você certamente conseguirá promover o engajamento da equipe e aumentar a eficácia do clube de descontos e de outras estratégias de fidelização de clientes.

Caso você tenha atingido esse objetivo deixe um comentário de como foi a experiência no seu supermercado. Se você ainda não conseguiu ou tem tido dificuldades em resolver esse problema também divida sua experiência conosco.

Ter foco no cliente parece algo simples e muitas empresas costumam afirmar que realmente trabalham dessa forma.

Com as transformações no mercado e também nos hábitos de consumo isso de fato tem se tornado mais comum nas estratégias de gestão.

Apesar disso, é preciso entender o que realmente é colocar o cliente em foco para fazer o gerenciamento de um negócio.

Esse é um trabalho que exige uma série de ações para ser verdadeiramente colocado em prática de uma maneira efetiva.

Se você ainda não trabalha dessa forma, com as nossas dicas hoje pode ser uma ótima oportunidade para começar.

E para você que já gerencia sua loja com foco nos consumidores, entenda se tem seguido o caminho certo.

O que é ter foco no cliente?

Sempre foi um princípio básico de qualquer empresa tentar entregar o melhor produto ou serviço para um cliente.

Certamente não restam dúvidas sobre o quanto isso realmente é relevante.

Porém, como já falamos, isso é básico. Se entregar o melhor para o consumidor é praticamente uma regra, o que diferencia a sua loja do concorrente?

Afinal, de acordo com essa lógica ambos vão dedicar esforços para atender as necessidades de quem for até a loja.

Antes de entender o que é ter foco no cliente, é preciso entender que suprir demandas não é ter foco no cliente.

Com isso resolvido estamos prontos para compreender como ter os consumidores no centro da sua estratégia.

Em primeiro lugar adotar uma estratégia de customer centric é uma mudança de cultura empresarial. Por muito tempo o foco esteve nas vendas, como aumentá-las e assim por diante.

É importante dizer que isso não foi deixado de lado, afinal vender é o que faz a sua loja continuar a existir. O ponto é que você não precisa deixar de fazer um, para fazer o outro.

O primeiro passo para trabalhar com foco no cliente é encontrar maneiras de conhecê-lo.

As mudanças nos comportamentos de consumo são constantes e deixar algo passar significa perder vendas.

Entender qual é o perfil de quem compra na sua loja pode servir como base para toda essa estratégia.

Com essas informações você será capaz de dedicar os seus esforços para atender os seus clientes de uma maneira completa.

Quanto a isso, não falamos apenas em relação a venda de produtos. A criação de ofertas, a comunicação, as ações de relacionamento, o layout da loja, a estratégia de retenção, a de fidelização, tudo está conectado.

Unir todos esses processos com uma mesma proposta e um mesmo objetivo é ter foco nos clientes.

3 pontos fundamentais para ter foco nos clientes

Uma estratégia que coloca o consumidor no centro de suas ações é composta por uma série de táticas e ações.

Na prática esse não é um trabalho simples e acima de tudo exige continuidade.

É claro que não existe uma fórmula do sucesso que possa ser aplicada em qualquer situação.

Porém, existem fatores que possuem grande relevância nessa estratégia e podemos servir como base para o restante do trabalho.

Descubra abaixo quais são eles!

Conheça o comportamento do cliente

Pare um minuto e pense como eram as vendas há mais ou menos 20 anos. Muito diferente do que é praticado hoje, não é mesmo?

A relação entre o dono de um negócio e o consumidor era mais próxima. Existiam menos canais de comunicação disponíveis, menos concorrentes e assim por diante.

Com isso, nós queremos dizer que o mercado já não é o mesmo em praticamente todos os sentidos.

Os clientes não compram mais da mesma maneira, as necessidades e as exigências não são as mesmas. Consequentemente as lojas não podem atuar suas estratégias de vendas da mesma maneira.

É claro que de tudo isso você já sabe, mas o que tem feito para mudar essa situação?

Buscar maneiras de se atualizar, melhorar a gestão e obter resultados sem dúvidas precisam ser atividades diárias para você.

O exemplo que comentamos acima trata de uma das questões que podem fazer toda a diferença para a sua empresa.

Saber quem são os seus clientes, o que eles compram e quando compram era uma prática comum há alguns anos e você precisa continuar a trabalhar a dessa forma.

É claro que hoje é muito mais difícil fazer esse controle visualmente e manualmente ou até mesmo ter essa relação mais pessoal com um número alto de consumidores.

Porém, existem formas para que você se aproxime ao máximo disso e até mesmo que permitam uma efetividade mais alta.

Implementar uma solução de gestão do comportamento de clientes é uma delas. Com ela você pode entender quem são os consumidores da sua loja, seus hábitos, preferências e aproveitar essas informações para criar ações direcionadas.

O uso da tecnologia pode te aproximar dos clientes e possibilitar um trabalho mais efetivo de atração, retenção e fidelização.

Aposte em ações de relacionamento

Se o foco da estratégia é no cliente, trabalhar apenas ações de vendas pode não ser o melhor caminho.

Como falamos anteriormente você não vai parar de trabalhar esse tipo de campanha, mas vai trabalhá-las de uma maneira mais eficiente.

O que certamente você não quer são clientes caça-ofertas que só vão até a sua loja para aproveitar essas oportunidades.

Essas são vendas que podem mascarar a real situação da empresa. O ideal é que exista um planejamento de ações e contatos para que o cliente compre continuamente no seu supermercado.

Com isso, a tendência é que ele aumente os gastos das compras, volte mais vezes em um mês e assim por diante.

Possuir uma estratégia voltada para o marketing de relacionamento sem dúvidas pode fazer toda a diferença em relação a isso.

Relacionamento com o consumidor está diretamente ligado com retenção e fidelização. Questões essas que estão ligadas ao aumento dos gastos por parte do consumidor e consequente com suas campanhas de venda.

Viu como nada se anula?

É claro que é preciso encontrar um equilíbrio entre as ações que você colocará em prática. Por esse motivo é importante trabalhar com um calendário promocional.

Assim, você poderá definir com antecedência os períodos em que vai dedicar mais esforços para uma ou outra situação.

Invista em experiência de compra

A experiência de compra é outro assunto que tem crescido nas discussões que envolvem o varejo.

Muito disso está ligado ao consumidor 4.0. O aumento da exigência por parte deles, principalmente diante de um mercado que constantemente oferece novas opções e formatos de compra.

Investimentos em tecnologia e ferramentas digitais são quase que processos básico diante da variedade de soluções disponíveis no varejo.

É claro que melhorar a experiência de compra não depende só desses fatores. Investir em estratégias para melhorar o layout de loja, retail design e gestão de categorias são algumas outras formas.

O que é necessário pensar em relação a isso é atender as necessidades dos consumidores.

Não apenas em relação aos produtos disponíveis, mas também nos processos de compra, na comunicação utilizada e nas facilidades oferecidas, por exemplo.

É mais uma vez um trabalho que depende de um conjunto de ações para que seja realmente colocado em prática.

Isso não quer dizer que você não possa começar com ações simples como o treinamento da sua equipe, por exemplo.

Essa é uma ação que pode não ter nenhum custo ou um custo baixo, mas que pode fazer toda a diferença na abordagem que seus funcionários têm com os consumidores.

Um bom atendimento pode refletir numa boa experiência de compra, num bom relacionamento e, claro, mais vendas para sua loja.

E agora depois de tudo isso que falamos, como você vê a situação atual do seu supermercado?

Se identificou com alguma das situações que tratamos? Já coloca em prática algumas dessas ações?

Deixe aqui nos comentários as suas experiências com uma estratégia com foco no cliente.

Se quiser descobrir como colocar isso em prática agora mesmo no seu supermercado agende aqui um bate-papo com a nossa equipe.

Atualmente os tipos de lojas no segmento supermercadista são dos mais variados. Uma empresa pode inclusive se posicionar no mercado pelo tipo de loja que abre.

Mesmo com essa proposta dos estabelecimentos, nada impede que um mesmo cliente compre em um modelo de loja diferente de acordo com suas necessidades momentâneas.

Isso também pode ter relação com os hábitos de consumo ou até mesmo uma questão de tempo disponível para ir ao supermercado.

Um formato pode funcionar muito bem em uma cidade e não ter o mesmo sucesso em outra, por exemplo.

Entenda no post de hoje os tipos de loja que estão em evidência e os motivos para isso.

Tipos de lojas x Hábitos de compra

Existem diversas variáveis para colocar um tipo de loja em mais evidência do que outra. Talvez a mais relevante delas sejam os hábitos de compra.

Quando se fala de hábitos de consumo não podemos levar em conta apenas o que é consumido, mas também os objetivos da compra.

Existem clientes que buscam preço mais baixo e compra em grandes quantidades, por isso buscam aproveitar ofertas na maior parte de suas visitas à loja.

Em contrapartida, outros preferem lojas com foco em praticidade e compram em pequenas quantidades.

Ou até mesmo outra que prefira a loja que entrega a melhor experiência de compra sem se importar com preço, por exemplo.

Essas são apenas algumas situações, mas ao analisá-las com calma já é possível entender a situação dos formatos de loja.

Existem as que tentam encontrar o equilíbrio para atender o maior número de clientes possível, outras preferem focar em um nicho e assim por diante.

Mas perceba que a movimentação dos clientes é fundamental para definir lojas que aumentam a participação no mercado.

Além disso, se você tem uma base de dados dos seus clientes e analisa essas informações, pode inclusive usá-las para planejar a abertura de uma nova loja.

Sem dúvidas olhar para os clientes para definir estratégias como essa podem contribuir para que os resultados obtidos sejam os esperados.

Além disso, as lojas físicas ainda são capazes de fazer a diferença no segmento supermercadista. Situação que já não é tão presente no varejo de maneira geral.

Então, essa também pode ser mais uma oportunidade que você pode aproveitar para impulsionar os resultados.

Certamente cada tipo de loja tem uma virtude que pode complementar a outra, por isso vale a pena estar sempre atento ao mercado. Veja os formatos de loja que tem se destacado no últimos anos.

Tipos de loja que têm se destacado no segmento supermercadista

Para definir os destaques é preciso entender o mercado como um todo e ao mesmo tempo os hábitos dos consumidores.

O varejo em geral tem sido impactado por uma série de tendências e com o setor supermercadista não é diferente.

Um dos pontos de grande importância nesta análise é a relevância que a experiência de compra tem conquistado.

Em alguns casos, questões de preço até ficam em segundo plano quando comparados com a experiência que o cliente tem ao comprar.

Para alguns isso pode ser um fator determinante, mas a verdade é que todos ligam para isso de alguma maneira. Alguns pelo ambiente, pelos produtos disponíveis ou mesmo pelo preço ofertado.

O ponto não é apenas o que compra ou porque, mas sim como ele compra e os hábitos diários.

Com esse olhar temos quase que dois extremos ao observar o mercado. Enquanto os atacarejos têm aumentado a participação no mercado, as lojas de proximidade têm conquistado a preferência dos clientes.

Perceba que os benefícios que essas lojas trazem para os consumidores são bem diferentes.

Enquanto uma tem um foco de vendas em uma quantidade mais alta e preço baixo. A outra aposta em praticidade e inovação para vender mais.

Vale lembrar que os consumidores e o mercado estão em constante transformação, então esse é um panorama de momentos.

Por isso, é importante que você estude o segmento, realize benchmarking com concorrente e empresas de outros setores e, claro, busque entender os seus clientes.

Lembre-se que sempre existem pontos que podem ser melhorar e também aqueles que já são bons e podem ser ainda mais evidenciados.

Um deles é a experiência de compra no PDV. Para melhorá-la, um bom início é evitar erros na operação.

Descubra como evitar a ruptura de gondola com um de nossos materiais, baixe aqui gratuitamente!

O encarte de supermercado é um dos meios mais tradicionais para comunicação com os clientes nesse segmento.

Grande parte, senão todos os supermercados, fazem encartes mensais ou até mesmo semanais com seus produtos.

Certamente ele continua como um canal importante, ainda mais agora que também já ganhou versões digitais.

Mesmo com a tradição ao seu lado e a evolução digital, uma grande questão ainda existe sobre ele: os resultados que traz para o supermercado.

Nesse post você vai conferir algumas formas de obter resultados da sua distribuição de encartes e também como melhorá-la.

Como melhorar o desempenho do seu encarte de supermercado

O encarte talvez seja o canal de comunicação mais tradicional para supermercados. Certamente em algum momento o seu supermercado já fez a impressão desse tipo de material e talvez ainda faça com certa frequência.

Em meio à necessidade de divulgar ofertas e atrair os clientes para a loja esse material realmente pode ser muito eficiente.

Nos últimos anos também surgiram novos canais de comunicação e formas de divulgar ofertas que hoje dividem o espaço com os encartes. Como o principal atrativo para esses outros meios está a possibilidade de mensuração dos resultados da ação.

Algumas dessas formas são mais efetivas, outras menos, mas o mais importante é sempre buscar resultados melhores em qualquer meio.

As mudanças no varejo têm seguido um caminho em que a comunicação com os clientes tem ganhado uma relevância maior. Além de manter um contato ativo com os consumidores, possuir vários canais para isso também é fundamental e pode fazer toda a diferença.

Encontrar maneiras para que o seu encarte atraia mais clientes e gere mais vendas precisa ser um dos seus objetivos.

Para isso, existem várias questões muito importantes, entre as principais está a escolha de produtos e a área de distribuição.

Curva ABC

Usar a curva ABC seguramente pode ser uma ótima maneira para te ajudar na escolha dos produtos do encarte. Certamente usá-la nesse momento pode melhorar o desempenho da sua ação. 

Você pode usar produtos da curva A para chamar a atenção dos consumidores e consequentemente atraí-los.

Nos itens das curvas B e C você pode apostar em uma estratégia de precificação que melhore a sua rentabilidade, por exemplo.

É bom lembrar que essa tática de atração e precificação precisa estar alinhada com a sua gestão de categorias. Caso contrário, você pode não atingir os resultados esperados.

Geolocalização

Usar uma ferramenta com tecnologia de geolocalização pode melhorar a distribuição dos seus encartes.

Com ela será possível identificar pontos da cidade em que você ainda não possui muitos clientes. Essa informação servirá como base para que você concentre seus investimentos nessas regiões.

Dessa forma, as suas chances de atrair novos clientes aumentam e a sua ação pode atingir resultados mais expressivos.

É importante lembrar que, para isso, é preciso que você faça o cadastro e identificação dos clientes da sua loja. Assim, você terá acesso a essa informação de localização de quem compra no seu supermercado e poderá desempenhar a sua gestão de clientes da melhor maneira. 

Solução de gestão de clientes

Usar a tecnologia para atingir resultados mais expressivos é mais uma das estratégias que têm crescido no mercado.

Entre os diversos objetivos dos avanços tecnológicos, seguramente tornar as ações mais eficientes está nos planos.

Um software completo de gestão de clientes é um ótimo exemplo para os supermercados, já que pode atuar em várias frentes do negócio.

Ao falar especificamente de encartes para supermercados essa solução também pode trazer benefícios.

Entre elas está auxiliar na criação do material. Um sistema eficiente de gerenciamento de clientes pode te fornecer uma lista completa dos itens mais consumidos na sua loja.

Uma página como a de ranking de produtos pode te ajudar a criar um encarte mais atrativo para os atuais consumidores e também para atrair novos.

Depois da distribuição do material também é importante analisar os resultados que ele trouxe. Como falamos anteriormente, o mercado atual exige a mensuração de resultados e agora você também pode fazer isso com o seu encarte impresso.

Saber a efetividade da sua ação pode servir tanto para repetir as que funcionaram bem quanto para corrigir ações que não trouxeram os resultados esperados.

Dessa forma, os seus encartes podem ter desempenhos cada vez melhores, assim como o seu supermercado.

Criar encartes digitais

A forma como os encartes podem ser feitos também mudaram e agora você pode trabalhar com eles de maneiras diferentes.

Materiais digitais são cada vez mais comuns para vários tipos de supermercado e a sua distribuição também é variada.

Algumas lojas optam por usar canais digitais, como as redes sociais, para divulgar os encartes aos clientes. Esses canais também permitem impulsionar as publicações para atingir públicos mais específicos.

Outras optam por realizar um trabalho mais estratégico na divulgação dos materiais, por meio do uso de dados dos clientes.

Supermercados que fazem a gestão de clientes conseguem realizar esse trabalho que certamente é mais efetivo.

Com as informações de consumo, você pode criar vários encartes digitais com produtos selecionados de acordo com as segmentações que forem escolhidas. 

Após identificar quem são os clientes que consomem aqueles itens será possível enviar esse encarte apenas para o grupo desejado. Para o envio, o ideal é optar por canais mais pessoais, como SMS e e-mail marketing.

Essas são algumas das formas de atuar de maneira mais estratégica na criação dos encartes e buscar resultados melhores.

Para que o seu supermercado consiga um desempenho ainda melhor separamos um material especial para você. Baixe agora mesmo nosso ebook gratuito “Como fazer encartes que vendem” e aproveite nossas dicas para criar o material dos seu supermercado!