SUMÁRIO


Por em 28 de outubro de 2021

Neuromarketing no varejo: entenda o que é e 4 dicas para aplicar

O neuromarketing nada mais é do que a união do marketing com a neurociência. Assim sendo, o neuromarketing no varejo é uma área de atuação que busca compreender a melhor maneira de utilizar o marketing com base na neurociência, observando, analisando e compreendendo o comportamento do consumidor

Dentre suas funções, o neuromarketing no varejo ajuda os empreendedores a entenderem o motivo que faz o cliente escolher certas marcas, como ele responde a determinados estímulos, entre outros.

Para o supermercadista que deseja destacar-se na sua área de atuação, saber como utilizar o neuromarketing no varejo a seu favor pode ser um grande diferencial na hora de fazer ações mais assertivas e que realmente vão de encontro com aquilo que o seu cliente espera e deseja.

Aqui, além de tentar te ajudar a compreender um pouco mais sobre o que é o neuromarketing no varejo, também vamos te dar boas dicas para colocá-lo em prática na sua loja o quanto antes. Acompanhe!

A importância de conhecer a aplicar a estratégia de neuromarketing no varejo

Primeiramente, vale ressaltar que a estratégia de neuromarketing traz inúmeros benefícios para o varejo. E isso acontece porque, antes de tudo, ela valoriza a capacidade do varejista efetivamente conhecer e compreender o seu cliente. 

Assim, alguns dos benefícios que você vai poder desfrutar ao utilizar essa estratégia no seu supermercado são:

  • Maior proximidade e facilidade no relacionamento com o seu consumidor;
  • Melhora na análise de dados do seu varejo e, assim, maior possibilidade de tomar boas decisões para a sua loja – desde melhorar o seu mix de compras, passando pelo desenvolvimento de campanhas com maior taxa de sucesso;
  • Otimização do desempenho do seu varejo: você saberá dizer em quais tarefas e áreas realmente vale a pena dedicar o seu tempo e investimento. 

Entretanto, para acertar em cheio no neuromarketing no varejo, é importante saber que existem três pilares principais no neuromarketing, sendo eles: emoção, engajamento e memória. 

E apesar de existirem esses três pilares, a grande aposta deve estar no pilar da emoção, uma vez que a memória e o engajamento vêm como consequência das emoções. 

Mas como fazer para explorar esses três pilares e aproveitar ao máximo o neuromarketing no varejo? 

Confira abaixo as nossas dicas para você gerar emoções positivas aos clientes, fazer com que ele engaje com a sua marca e, é claro, crie boas memórias ao se relacionar com o seu varejo.

4  dicas para aplicar o neuromarketing no varejo de forma assertiva

1. Atribua valor aos seus produtos e serviços

Por mais que os termos “valor” e “preço” possam parecer sinônimos, eles apresentam diferenças importantes para o seu negócio:

  • Preço é uma soma que o cliente irá pagar para comprar o produto. 
  • Valor é algo que está relacionado à experiência do consumidor e, também, como ele vai se beneficiar do item que comprou – conceito que também está relacionado com o custo-benefício de produtos e serviços. Afinal, quem nunca pagou mais caro em um produto porque, ao final, o custo-benefício parecia mais positivo? 

Assim sendo, uma ideia inteligente de aplicar o neuromarketing no varejo é encontrar maneiras de atribuir valor aos seus produtos e serviços. 

E acredite: existem inúmeras maneiras de fazer isso. 

A atribuição de valor vai desde um atendimento melhor do que o esperado, passando por benefícios extras e exclusivos que o seu supermercado oferece – e os seus concorrentes não. Por exemplo:

  • Oferecer Clube de Descontos, programas de pontos e/ou fidelidade e cashback;
  • Ofertar serviços extras que agreguem valor. Por exemplo: fazer o delivery de produtos, preparar embalagens gratuitas para ocasiões especiais, etc;
  • Utilizar seus meios de comunicação de forma inteligente, produzindo conteúdos que agreguem valor para a vida do seu cliente. E isso é válido tanto para suas redes sociais, quanto para canais de comunicação diretos, como SMS e WhatsApp, entre outros. 

Para saber mais sobre esse assunto tão importante, confira nosso artigo que fala especificamente sobre como agregar valor ao seu negócio: 10 formas de agregar valor aos seus produtos e aumentar as vendas

2. Reduza as opções (e, assim, tenha um melhor mix de produtos)

O neuromarketing reforça que, quando o consumidor encontra muitas opções de produto, é bem possível que o primeiro efeito que isso cause nele seja a paralisia.

Ou seja, a pessoa, por não saber o que comprar, pode simplesmente não comprar nada e/ou se arrepender depois da escolha que levou para casa.

Entretanto, vale ressaltar que, para você reduzir as opções de marcas e produtos no seu supermercado, é essencial você compreender o comportamento de compra do seu cliente. Afinal, somente assim saberá quais marcas e produtos faz sentido você oferecer no seu PDV.

Trabalhe muito bem essa parte de “curadoria”, optando, de forma estratégica, por produtos que componham o seu mix de forma inteligente. 

Ademais, esse conhecimento pode inclusive permitir que você negocie de forma mais assertiva com seus parceiros da indústria

Afinal, você saberá dizer para eles dados importantes sobre os produtos deles: quais são os preferidos dos clientes, quais não saem tanto, o que pode ser melhorado, entre outros.

– Veja também: 5 dicas para escolher o melhor mix de produtos para sua loja 

3. Use gatilhos mentais e urgência e escassez

Outra forma interessante de usar o neuromarketing no varejo é criando gatilhos mentais de urgência e de escassez, que ajudam na tomada de decisão do cliente e, muitas vezes, fazem com que eles levem o produto naquele momento. 

Afinal, eles entendem que a oferta está chegando ao fim e, se não aproveitarem-na, sairão perdendo.

E como utilizar essas estratégias na prática?

Para utilizar o gatilho mental de escassez, você pode acrescentar nas suas ofertas frases como  “enquanto durar o estoque”, por exemplo. 

Já para criar o gatilho de urgência, você pode acrescentar frases como “Última chance”, “Só hoje”, “Válido até [acrescentar a data]”. 

4. Trabalhe os sentidos dos clientes: visão, audição, olfato, tato e paladar

Por fim, mas não menos importante, uma estratégia inteligente para aplicar o neuromarketing no varejo é apostar em ações que mexam com todos os sentidos dos seus clientes. E como fazer isso? Pois bem:

  • Visão: invista em uma comunicação visual atraente, agradável aos olhos, que permita que os clientes encontrem o que procuram de forma fácil, rápida e prática. 
  • Audição: garanta que o som ambiente seja agradável. Faça playlists bem pensadas, aproveite a rádio interna para divulgar campanhas e informações importantes e relevantes.
  • Olfato: o olfato é o sentido mais primitivo do ser humano. Aproveite para explorá-lo com maestria na sua loja! Ao sentir o cheiro do produto fresco, pronto para consumo, o cliente pode ser incentivado a prová-lo, o que pode estimular a compra. Pães que acabaram de sair do forno e cafés fresquinhos são aromas que podem levar os clientes até esses produtos e, ainda, inspirá-los a comprar itens complementares para esses itens.
  • Tato: alguns dos principais objetos que os consumidores usam no supermercado são as cestas e os carrinhos de compra. Garanta que eles estejam sempre em boas condições e facilitem a visita do cliente pela sua loja. 
  • Paladar: oferecer provas e degustações de produtos é uma excelente forma de estimular o paladar dos seus clientes. E, além disso, é uma forma de você fechar parcerias interessantes com a indústria e parceiros. 

É hora de aplicar o neuromarketing no seu varejo!

Pois bem, agora você já sabe mais sobre como usar o neuromarketing no varejo e, também, a importância dessa estratégia para melhorar os resultados do seu supermercado.

Então, que tal rever o planejamento do seu empreendimento e se organizar para colocar o neuromarketing em prática? Saiba que, quanto antes você passar a utilizá-lo no seu PDV, antes você poderá desfrutar dos bons frutos dessa estratégia.

Ademais, ressaltamos que um dos primeiros passos para você ter sucesso ao implementar o neuromarketing no varejo é apostando em uma ferramenta que te ajude a compreender de vez o comportamento do seu cliente. 
Neste cenário, a Mercafacil pode ser a melhor solução para você!

A nossa ferramenta de Gestão de Comportamento de Cliente (CBM) é completa e já está presente em mais de 2200 lojas ao redor do Brasil. Que tal a sua ser a próxima? Acesse o nosso site e agende uma demonstração gratuita com nossos especialistas do varejo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Daniela Hendler

Jornalista graduada pela PUC-PR. Analista de Marketing com foco em produção de conteúdo estratégico na Mercafacil. Tem alguma sugestão de conteúdo que gostaria de ver por aqui? Envie para [email protected]