Author

Louize Fischer

Browsing

A retenção de clientes é fundamental para chegar ao sucesso. Ao manter os consumidores sempre por perto, é possível aumentar o faturamento, diminuir os custos de venda e melhorar a imagem do negócio. Para conquistar esse efeito com o seu supermercado, vale a pena recorrer a um software de gestão de clientes.

Trata-se de uma ferramenta que organiza todos os dados dos consumidores, desde os produtos consumidos até valor gasto e frequência de compra. Ao criar uma base confiável de informações, ajuda a planejar ações e controlar o conhecimento em vários níveis, especialmente nas vendas.

Para entender como o software de gestão de clientes contribui para a retenção de clientes, continue a leitura!

Permite conhecer o comportamento de compra

Quando o recurso tecnológico é usado, é possível registrar uma série de informações sobre o negócio e os clientes. Há registros de quais são os produtos mais vendidos, qual é a periodicidade das compras, os valores médios e assim por diante.

Como centraliza todos os dados, faz com que a gestão tenha uma visão muito clara do comportamento de consumo. Isso permite identificar pontos que devem ser trabalhados, como os produtos com melhor saída ou momentos favoritos de compras. Ao final, há maior inteligência de dados, a possibilidade de tomar decisões mais acertadas e até de negociar com fornecedores.

Melhora o gerenciamento de estoque

Como permite entender quais são os itens mais desejados pelos consumidores, o software de gestão de clientes permite o gerenciamento de estoque de forma otimizada. É possível garantir que certos produtos estejam com maior disponibilidade em épocas de procura elevada, por exemplo.

Também é um jeito de evitar o desabastecimento dos itens mais procurados, a temida ruptura de gôndola, e de diminuir o armazenamento daqueles com pouca saída. Isso traz produtos frescos e adequados aos interesses e necessidades de quem consome. Com maior satisfação com a compra, há um aumento na fidelização.

Favorece a comunicação com o cliente

Saber falar com o público de interesse é determinante para que os clientes continuem comprando na sua loja. Com as ações certas, é possível transmitir a mensagem do jeito adequado, aumentar o engajamento e aproximar o relacionamento com o consumidor.

A partir do uso do software de gestão de clientes, é mais fácil conhecer as pessoas e, então, segmentar as estratégias de comunicação. Ao criar uma campanha para determinado público, fica simples adotar os elementos adequados para chamar a atenção. Ao elaborar uma promoção, também é viável acertar o segmento desejado e, assim, favorecer o relacionamento.

Melhora a experiência do consumidor

Acima de tudo, essa ferramenta é de grande ajuda para otimizar a experiência que o comprador tem no ambiente. Com o envio de ofertas personalizadas, é muito provável que ele retorne outras vezes, pois verá promoções exatamente do que costuma comprar.

O cuidado em considerar o histórico e oferecer uma abordagem única faz com que a empresa se diferencie das demais. Com a satisfação elevada, o consumidor optará por retornar muitas outras vezes. Enquanto isso, o relacionamento será cada vez mais favorecido.

Para adotar essa ferramenta da forma correta, o ideal é contar com um sistema robusto e de qualidade. O software da Mercafácil é uma excelente alternativa: completo e integrado, cria um perfil detalhado do público. Ao final, você terá insights poderosos para reter as pessoas e diferenciar os seus resultados.

Com o software de gestão de clientes, é possível conhecer melhor os consumidores. Assim, melhora a satisfação e aumenta a fidelização de clientes, o que favorece as conquistas empresariais em todos os âmbitos.

Se quiser aproveitar todos esses benefícios, entre em contato com a Mercafácil. Você vai descobrir como podemos ajudar o seu negócio!

Elaborar um planejamento estratégico de vendas é essencial para quem quer vender mais! Sabemos que esse é um desejo de muitos empreendedores, mas é preciso ter calma e segurar um pouco a ansiedade.

Para quem não sabe, um planejamento estratégico de vendas funciona como um guia destinado à área de vendas de uma empresa. Ele define quais são seus objetivos, metas, bem como os recursos e as estratégias que serão utilizados para que essa atividade seja feita da melhor maneira possível.

Preparamos este conteúdo para que você possa entender melhor sobre o assunto. Continue acompanhando para saber mais sobre como elaborar um bom planejamento estratégico de vendas!

Quais são as vantagens de elaborar um planejamento estratégico de vendas?

Para começar, vamos conhecer as vantagens em elaborar um planejamento estratégico de vendas. Veja só:

  • possibilidade de elaborar planos de ação alinhados com os objetivos da empresa;
  • ajuda para conhecer melhor os pontos fortes e fracos do negócio;
  • possibilidade de uma maior integração entre diferentes áreas da empresa;
  • auxílio no direcionamento das ações para que seja possível vender mais.

É evidente que há outras vantagens, mas podemos considerar as que listamos acima como as principais. Elas já são suficientes para que você tenha motivos para priorizar a realização de um planejamento estratégico focado em suas vendas.

Como elaborar um planejamento estratégico de vendas?

Agora que você conhece as principais vantagens do planejamento estratégico de vendas, preparamos quatro dicas para que essa prática seja adotada de maneira eficiente:

Estabeleça objetivos e metas

O primeiro passo para criar um bom planejamento de vendas é ter em mente que ele precisará mirar algo maior — algo que a empresa precisa alcançar. Ou seja, é preciso criar objetivos que sejam os grandes guias de todas as ações comerciais. Por exemplo: reformar e ampliar uma loja atual ou abrir novas lojas.

Junto aos objetivos é preciso contar com ferramentas para que seja mensurado o desempenho das ações estabelecidas para esse desafio. Não deixe de estabelecer metas que tenham esse papel e que ajudem na correção e na otimização das ações comerciais.

Faça o cálculo de custos fixos e variáveis

Um componente importante para o planejamento estratégico de vendas está nos seus custos. Nessa linha, é interessante dividi-los em dois: custos fixos e variáveis. Aliás, como normalmente a empresa depende exclusivamente das vendas para sobreviver, é interessante levar em consideração os gastos do negócio como um todo.

Saiba que os custos fixos são aqueles que não sofrem aumento conforme a operação do negócio. Se tomarmos um supermercado como exemplo, podemos dizer que o valor gasto com limpeza, aluguel, e funcionários tende a ser o mesmo independente se recebeu a visita de um ou mil clientes no mês.

Já os custos variáveis são aqueles que mudam conforme a demanda do negócio. Por exemplo, se o supermercado vende um produto mais do que o normal, provavelmente terá um custo a mais para repor o estoque. É importante entender como as vendas podem e devem influenciar nessa questão!

Saiba definir o valor dos produtos

Entenda que a definição dos valores dos produtos pode interferir diretamente no seu planejamento estratégico de vendas, visto que valores acima do mercado acabam limitando o consumidor que quer atingir, bem como posicionando o negócio para atender a um nicho específico.

Então estude bem os preços praticados pelo resto do seu mercado e defina qual é a melhor estratégia nesse sentido. É certo que mudanças podem acontecer no meio do caminho, visto que todos os mercados exigem uma certa adaptação. E cuide, também, para não perder sua margem na venda dos produtos.

Estabeleça os recursos necessários

A nossa última dica é que sejam definidos todos os recursos necessários para a sua estratégia de vendas funcionar bem, pensando sempre em sua previsibilidade e escalabilidade. Defina o tamanho da equipe, os materiais, os treinamentos, as ações de marketing necessárias ao longo do ano, entre outros detalhes.

Solicitar o envolvimento do departamento de marketing pode ser interessante, visto que ambas as áreas trabalham com os mesmos interesses: gerar mais vendas e faturamento.

Deu para entender que um planejamento estratégico de vendas é essencial para definir o direcionamento correto para as suas ações? Então não perca tempo, arregace as mangas e comece agora mesmo!

Para continuar a adquirir conhecimento, confira agora o nosso guia sobre como fazer encartes de supermercado que vendem!

planejamento-estrategico-de-vendas

O marketing de relacionamento consiste em um conjunto de estratégias que têm como objetivo estreitar os laços do consumidor com uma marca. Dessa forma, ele incentiva o cliente a retornar à loja para aumentar o faturamento e o ticket médio.

Vamos, então, explicar os impactos desse tipo de marketing na estratégia de uma empresa e dar bons exemplos de ações para você implementar. Confira!

A importância do relacionamento com os clientes

O relacionamento com os clientes é parte da própria construção da marca, uma vez que cria uma espécie de identidade. O charme dessa personalidade terá um grande impacto na fidelização de clientes e na disseminação da marca. Isso porque os clientes que se identificarem permanecerão consumindo seus produtos e farão questão de indicar sua loja para outras pessoas.

Investir na construção de um bom relacionamento com o cliente significa, portanto, diminuir as chances de perder aqueles consumidores que já entraram em contato com a sua marca, mas que por algum motivo se sentiram mais à vontade em comprar em outros lugares.

No caso específico dos supermercados, que, diferente de outros setores do varejo, não têm um ciclo de vendas longo, é ainda mais importante pensar em estratégias que façam o consumidor ter vontade de voltar à loja, já que ele precisará fazer compras novamente com muita regularidade.

Boas ações de marketing de relacionamento

Para usufruir de todas essas vantagens do marketing de relacionamento, é preciso colocá-lo em prática da maneira correta. Por isso, apresentamos abaixo algumas sugestões de ações. Confira!

1.Desenvolva uma lista de contatos

O primeiro passo é criar situações no supermercado em que seus clientes precisem se cadastrar, como sorteios e clubes de desconto, de maneira que você tenha acesso a informações para contato — número do telefone celular ou o endereço de e-mail, por exemplo.

Munido do contato e de outros dados dos clientes, como o perfil de consumo de cada um deles, você poderá mandar mensagens personalizadas.

Só não exagere na quantidade de comunicados! Encher os clientes de mensagens vai, no mínimo, fazer com que ignorem seu contato. Então você perderá esse canal de comunicação.

Utilizando softwares específicos de gestão de clientes, como o da Mercafácil, você conseguirá captar e analisar todas essas informações com bastante facilidade. Lembre-se: conhecer bem seu consumidor e se comunicar com ele é o primeiro passo para muitas estratégias de marketing.

2.Comunique-se com clientes inativos

Desenvolver uma abordagem segmentada, comunicando-se de formas diferentes no momento de adquirir, reter ou recuperar clientes, também aumenta a eficiência do marketing de relacionamento — sobre isso, veja aqui algumas soluções da Mercafácil para o varejo. Com o auxílio de um software, você conseguirá identificar os clientes inativos (aqueles que já conhecem a sua loja, mas pararam de frequentá-la). Você também conseguirá saber há quanto tempo estão sem comprar nada.

Eles não pararam de fazer compras, apenas têm preferido outros supermercados. Portanto, é preciso adotar uma abordagem especial para reaproximá-los. Deixe claro que eles são importantes para sua empresa e envie ofertas que mais combinam com o perfil de cada um. Promoções exclusivas também são bem-vindas.

3.Utilize as redes sociais

Ainda que os canais de comunicação direta sejam eficientes, você pode não ter o contato de todos que entram na sua loja. Alguns clientes não gostam de deixar seus dados em cadastros, mesmo que isso signifique abrir mão de alguns descontos.

Portanto, estar presente na internet e pensar em estratégias de marketing de relacionamento de maior alcance é importante. As redes sociais são a melhor solução para isso. Assim, é imprescindível que a sua marca tenha uma página no Facebook, por exemplo, e que a alimente com conteúdo relevante.

A presença nas redes sociais também abre outro canal de comunicação entre você e o consumidor. É por meio dela que os clientes vão tirar dúvidas e fazer reclamações. Por isso, também é importante ter colaboradores atentos e dispostos a responder mensagens de forma eficiente e atenciosa.

Planeje as suas estratégias de marketing de relacionamento com as dicas acima em mente. Dessa forma, você garantirá o retorno dos clientes.

Gostou da ideia de utilizar o marketing de relacionamento para fortalecer a sua marca? Entre em contato conosco e conheça melhor as soluções que a Mercafácil tem para você!

Não é incomum ver um supermercado que lida com o acúmulo de função. É o que ocorre quando um funcionário contratado para atuar no caixa precisa ajudar na área administrativa, por exemplo. Ou quando um profissional de RH tem de cuidar de clientes inadimplentes.

O problema é que essa situação gera diversos efeitos negativos. Além de causar desgaste e desmotivação para os colaboradores, aumenta os riscos de o supermercado sofrer processos trabalhistas. Então, o ideal é resolver o problema de vez.

A seguir, confira algumas orientações para lidar com o acúmulo de função e obter o melhor resultado!

Realize uma gestão de procedimentos

Muitas vezes, um supermercado encara essa situação porque não sabe exatamente quais são as funções que cada colaborador deve desempenhar. Para evitar esse problema, a recomendação é começar por um mapeamento de processos e gestão de procedimentos.

Identifique quais são os cargos necessários em cada setor do supermercado e defina quais são as atividades compatíveis. Avaliar os clientes inadimplentes, por exemplo, faz parte da atuação do gestor financeiro ou do responsável pelas vendas. Já o cuidado com o armazenamento é obrigação dos funcionários do estoque.

Entenda como cada cargo se posiciona no fluxo de trabalho e faça a descrição de funções.

Tenha uma comunicação transparente

A transparência é uma característica indispensável para solucionar o acúmulo de função no supermercado. Por isso, o ideal é ter uma comunicação clara, em que cada colaborador saiba quais são as suas obrigações. Além disso, o ideal é ter um canal aberto de comunicação em que os colaboradores possam expor seus descontentamentos.

Para ter respaldo legal, é interessante ter atenção ao contrato de trabalho. Todas as ações que serão desempenhadas devem estar previstas nesse documento e têm de ser respeitadas.

Também é importante orientar os trabalhadores sobre quais atividades precisam exercer e como suas ações se encaixam no funcionamento de todo o supermercado. Além de alinhar as expectativas, é um jeito de aumentar a motivação.

Acompanhe os resultados e a rotina de trabalho

Em alguns casos, o acúmulo de função no supermercado não parte da gestão, mas dos próprios colaboradores. É o que acontece quando os funcionários se substituem em cargos que não são deles ou assumem as responsabilidades de outras pessoas. Para evitar o quadro, fique de olho na rotina e faça as adaptações e orientações necessárias. Nesse ponto, os gestores de área podem contribuir na fiscalização.

Aproveite e realize pesquisas periódicas de clima organizacional para saber qual é a impressão de cada um sobre seu cargo. Essa é uma forma de conhecer o nível de satisfação e de compreender se há algum setor mais sobrecarregado.

Utilize a tecnologia para a gestão

Muitas vezes, o acúmulo acontece por tarefas burocráticas, que poderiam ser facilmente eliminadas. Para diminuir o número de ações que requerem um colaborador, o melhor é empregar a tecnologia.

Por meio de um software de gestão para supermercados é mais fácil acompanhar os dados das vendas, o número de clientes inadimplentes e até os valores de estoque. A precificação deixa de ser um problema e a geração de relatórios acontece de forma automática. Uma boa ferramenta, portanto, diminui o número de atividades e evita sobrecarregar as pessoas.

Também é válido usar o recurso para fazer a gestão de equipes, acompanhar projetos e delegar tarefas. Dessa forma, o controle aumenta e os riscos de acúmulo ficam bem menores.

O acúmulo de função em supermercados é um problema recorrente e que pode gerar implicações legais. Para evitar o quadro, empregue tais dicas e adote a tecnologia como uma de suas principais aliadas!

Para conseguir efeitos ainda melhores, ter uma equipe capacitada é indispensável. Para saber como atingir esse nível, baixe gratuitamente nosso e-book com dicas de treinamento para funcionários no varejo e descubra tudo!

É muito comum que os donos de varejo tenham o foco voltado para o aumento das vendas. Porém, é difícil conseguir isso mantendo as mesmas estratégias de sempre, certo? É nesse momento que se torna necessário contratar uma consultoria varejista.

Mas, afinal, para que serve esse tipo de consultoria? Como ela pode ajudar o seu negócio a impulsionar as vendas? Para responder a essas perguntas, redigimos este artigo.

Como funciona a consultoria varejista?

Uma consultoria varejista é um serviço oferecido por empresas voltadas a identificar problemas e fornecer soluções. Dessa forma, o seu negócio passa a ter uma ajuda para desenvolver melhor suas ações.

No varejo, isso é fundamental, devido à competitividade do segmento. Portanto, os esforços que são orientados devem ser postos em prática para que os resultados venham.

Quando você já tem uma plataforma de Gestão de Clientes, como a Mercafácil, a consultoria é feita por meio de reuniões online com um profissional especializado em ações de varejo. O objetivo é alinhar os interesses e objetivos do seu negócio e sugerir as melhores práticas para gerar mais resultados. O consultor terá uma visão geral da sua empresa e do que precisa melhorar, quais ações precisa para alavancar vendas, fidelizar clientes, etc.

Uma consultoria pode ter um tempo determinado ou ser estendida conforme a necessidade do negócio e os resultados desejados. O ponto mais importante de contratar uma consultoria varejista é adquirir a performance que você pode não conseguir sozinho.

Como a consultoria pode ajudar a aumentar as vendas?

Agora que você entendeu como funciona a consultoria, veja como ela pode contribuir, inclusive, para aumentar as suas vendas.

Uma vez que o consultor conhece bem seu negócio, verificará o seu processo de vendas para fazer seu investimento render mais. Isso inclui algumas boas práticas, tais como:

  • melhorar estratégias: ele vai entender como funciona seu processo de precificação, por exemplo, e indicar formas de trabalhar descontos sem afetar sua margem para atrair mais clientes e elevar o ticket médio de compra;
  • analisar o perfil de compra do cliente: por meio de uma plataforma de Gestão de Clientes você consegue analisar os hábitos de consumo e então o consultor pode orientar você a tirar o máximo proveito dessas informações para aumentar seu faturamento e, principalmente, aproximar o relacionamento com o consumidor;
  • ações e campanhas: de acordo com seu modelo de trabalho, o consultor poderá indicar as melhores oportunidades de ações de loja e de campanhas baseadas nas informações dos seus clientes. Tudo com o objetivo de melhorar seus resultados.

Quais são os benefícios da consultoria varejista?

A esta altura, você já deve imaginar que uma consultoria de varejo traz benefícios à sua empresa. Listamos aqui os principais:

  • você tem uma visão de fora de um profissional especialista, que conhece seu segmento e também a concorrência.
  • no varejo, é comum que a gestão dê atenção demasiada a estratégias e ações que não são tão importantes. Com a ajuda de um profissional varejista, você aumenta o foco no que é realmente necessário para o negócio.
  • ao investir nas ações certas há a diminuição de riscos e mal investimento. Essas ações devem ser contínuas para que o seu negócio mantenha ótimos resultados mesmo após a orientação.

A consultoria da Mercafácil, por exemplo, auxilia a fazer a gestão de clientes, gerenciar clube de descontos, preparar campanhas baseadas no perfil dos seus clientes para garantir que gerem mais vendas, indicar ações para estimular o consumo, otimização de processos e mensuração de resultados.

E por falar em processos, agora que você já sabe como a consultoria varejista pode ajudar, descubra ainda como otimizar processos na gestão do seu supermercado.

Um clube de fidelidade traz muitas vantagens para os seus clientes e também para a sua empresa. Porém, donos de negócio, às vezes, podem sentir receio em implantá-lo por conta de alguns mitos que circundam esse tipo de estratégia.

Para ajudar você a tomar uma decisão, trazemos neste artigo os 5 principais mitos e verdades sobre clubes de fidelidade. Vamos conferir?

1. Dar descontos em produtos do clube de fidelidade gera prejuízos para a minha loja

Mito! Ao dar descontos por meio de um clube, é possível mapear os dados de compra dos clientes e entender o hábito de consumo deles para trabalhar com ações direcionadas, que tendem a gerar:

  • aumento do ticket médio;
  • retenção de clientes;
  • aquisição de novos clientes.

Esses 3 pilares para a gestão de clientes são fundamentais para aumentar o faturamento do seu negócio. Uma plataforma de inteligência permite que você acesse as informações do seu cliente e use esses dados a seu favor.

2. Colocar ofertas fora do clube é melhor do que deixar ofertas dentro dele

Mito! Quando você tem um clube de descontos, existem 2 preços ativos, os chamados preço 1 e preço 2. Sendo assim, o produto que você já colocaria em oferta fora do clube pode — e deve! — ser colocado com valor reduzido dentro do clube.

Então, você passa a ter o valor normal (preço 1) para quem não é do clube e o valor com desconto (preço 2) para quem faz parte do clube. Dessa forma, os diferentes preços permitem equilibrar a margem, uma vez que alguns compraram no preço 1 e outros no preço 2.

Além disso, se você deixa a maior parte das suas ofertas fora do Clube você deixa de estimular os consumidores a se cadastrem no seu supermercado e perde a chance de trabalhar com as informações que podem ser coletadas.

3. Clube de fidelidade não funciona sozinho

Verdade! Alguns pensam que basta criar um programa de fidelização de clientes que ele funcionará sozinho. Porém, a realidade não é assim. O clube de fidelidade deve ser parte intrínseca da estratégia de marketing da sua empresa e, como tal, precisa de um objetivo e requer investimentos.

Dessa forma, é necessário ter colaboradores dedicados ao clube, além de comunicação e desenvolvimento de ofertas exclusivas. Levantar os perfis dos clientes e acompanhar seus hábitos de compra no estabelecimento também fazem parte do processo. Portanto, faça o possível para manter a sua equipe sempre engajada e empenhada em conhecer melhor os seus consumidores.

4. O cartão do clube é fundamental

Mito! Sabe os cartões de papel ou plástico do clube de fidelidade que eram entregues aos clientes para comprovação e uso? Pois é, hoje a tecnologia evoluiu a ponto de não precisarmos mais disso.

Algumas empresas conseguem identificar o cadastro no clube de fidelização pelo número do CPF, por exemplo. Outras o fazem via aplicativos. Isso torna o reconhecimento muito mais fácil, além de evitar a penalização de um cliente que tenha esquecido seu cartão em casa.

Apesar disso, oferecer o cartão físico também é uma forma de demonstrar cuidado com seus clientes, afinal, tem quem goste e se sinta mais especial ao ter.

5. Basta satisfazer para fidelizar

Mito! Um consumidor que ficou satisfeito com o serviço prestado pela sua empresa na hora da compra não necessariamente se tornará fiel a você. Afinal, bom atendimento é o mínimo que um cliente espera ao entrar num estabelecimento.

Assim, para fidelizar o comprador, você e sua equipe devem superar as expectativas dele. Dessa forma, o cliente não apenas comprará com você, mas também promoverá a sua empresa entre os amigos e voltará a fazer negócio com a sua empresa.

Pronto! Agora você já tem muitas informações para criar um clube de fidelidade eficaz e com capacidade de trazer muito retorno positivo para a sua empresa. Busque oferecer a seus consumidores o que eles precisam e estabeleça uma relação de proximidade com eles. Afinal, essa valorização do cliente fará com que ele se sinta especial e mais disposto a continuar comprando com você.

Está preparado para colocar o que aprendeu neste post em prática? Então, entre em contato conosco e vamos conversar sobre isso!

A existência de consumidor inadimplente é um efeito muito comum no mercado brasileiro. Diante da situação econômica atual, o número de clientes inadimplentes cresceu 3,54% em abril de 2018 em relação a abril de 2017. Com 62 milhões de pessoas com contas em atraso, foi a sexta alta consecutiva.

O problema é que esse efeito altera intensamente a realidade dos estabelecimentos. Quando os valores não são pagos como deveriam, os negócios sofrem sérias desvantagens.

No ramo dos supermercados, essa situação não é diferente. Para entender melhor, saiba como o consumidor inadimplente afeta esse setor e descubra como lidar com o problema.

Como ocorre a inadimplência em supermercados?

Na maioria das vezes, uma compra de supermercado tem o pagamento realizado na hora. A princípio, isso tornaria o setor mais protegido contra o cliente inadimplente.

Contudo, muitos estabelecimentos optam por oferecer cartões próprios para as compras. Descontos diferenciados e um melhor controle dos dados de consumo proporcionam o pagamento a prazo para os clientes. Diante do cenário de inadimplência, muitos negócios do ramo sofrem com atrasos ou faltas de quitação nesse recurso, o que gera efeitos negativos.

Quais são os impactos dos clientes inadimplentes para os supermercados?

A situação de inadimplência é negativa para todos. Os consumidores ficam com o nome negativado e acumulam dívidas, já as empresas sofrem efeitos financeiros. No caso de supermercados, algumas das principais desvantagens geradas pelo quadro são:

Perda de previsibilidade financeira

Para funcionar corretamente, é interessante que o negócio tenha uma gestão financeira com boa previsibilidade. Graças a esse efeito, é possível criar um fluxo de caixa planejado e pensar em quais investimentos serão feitos.

Com a presença do consumidor inadimplente, já não há como elaborar previsões financeiras. Como resultado, o supermercado não consegue fazer compras maiores com os fornecedores e perde parte da capacidade de gestão.

Comprometimento do lucro

Outro grande problema é que a inadimplência custa caro. Os clientes inadimplentes fazem com que o supermercado tenha que pagar os fornecedores mesmo sem receber, por exemplo. Dependendo do caso, é necessário recorrer a fontes financeiras, como a antecipação de recebíveis — e isso custa dinheiro.

Diante da necessidade de reorganização financeira e com a queda no faturamento, o lucro também cai. A empresa, então, passa a ter um crescimento estacionado ou mesmo revertido.

Prejuízos à fidelização de clientes

Sem poder comprar no cartão do supermercado cuja fatura está pendente, o cliente inadimplente vai para outro estabelecimento. Como resultado, há um grande comprometimento da fidelização de clientes.

Esse efeito também é obtido pelos prejuízos ao relacionamento, já que o negócio, normalmente, oferece vantagens para quem paga em dia. Para o supermercado, isso é ruim por dois motivos.

O primeiro é o aumento de custos com a aquisição de novos clientes, o que prejudica o lucro. Já o segundo é em relação ao fortalecimento da base. Com menos clientes fidelizados, a marca perde força no mercado.

Como lidar com a inadimplência?

A melhor forma de trabalhar os clientes inadimplentes é evitar que eles surjam. Se o supermercado oferece um cartão próprio para compras, crie uma política de análise e de concessão de créditos. Fazer consultas preliminares à aprovação é fundamental para selecionar os consumidores com menor risco de atraso no pagamento.

Para tomar boas decisões, o uso da tecnologia também é conveniente. Compreenda em quais momentos a inadimplência é maior e se antecipe a essas fases. Ainda é válido criar políticas de premiação para quem sempre paga em dia. Esse estímulo melhora o fluxo financeiro e ajuda a garantir a fidelização.

Entre os clientes já inadimplentes, crie uma política de cobrança. Considere fazer acordos e oferecer condições diferenciadas, sem prejudicar o relacionamento. Dessa forma, é possível manter o consumidor e o retorno financeiro.

A existência do consumidor inadimplente é prejudicial para os supermercados e, por isso, deve ser observada. Com essas orientações, é viável evitar o surgimento de clientes inadimplentes e melhorar o trato com a questão, de modo a obter resultados otimizados.

Para receber outras dicas para seu negócio, assine nossa newsletter e esteja sempre por dentro das nossas novidades!

Se você tem buscado saber como alavancar as vendas, saiba que aproveitar as datas comemorativas de julho pode ser uma ótima oportunidade. Nesse mês não há feriado, mas algumas datas especiais, se bem trabalhadas, podem contribuir para o aumento do ticket médio e também do número de vendas.

Saber quem mais compra determinados produtos facilita muito a realização de ações para estimular as vendas, algo que quem já é um cliente Mercafácil consegue fazer. A segmentação pelos hábitos de compra é capaz de atingir o cliente da forma mais efetiva, oferecendo a ele o que ele realmente quer comprar.

Além disso, por meio dessas informações é possível ter uma ideia de quando ele poderia ou deveria retornar à sua loja para realizar novas compras. Essas práticas podem estabelecer um maior vínculo de relacionamento com o cliente, mostrando que você sabe o que ele precisa e se importa com essa informação.

Como alavancar as vendas nas datas comemorativas de junho

08/07 Dia do Panificador
Essa data é uma boa oportunidade para desenvolver ofertas no setor de panificação, com campanhas segmentadas para os consumidores que costumam comprar esses produtos com frequência.

Chamar para buscar um pão quentinho, salgados, bolos e outros itens de panificação é um bom apelo, especialmente se a mensagem for enviada no fim da tarde. Outra boa alternativa, é incentivar a compra casada destes produtos com os setores de frios e bebidas, por exemplo.

10/07 Dia da Pizza
Nas suas redes sociais, você pode aumentar o vínculo com seus clientes, divulgando receitas para fazer pizzas em casa e um encarte virtual especial com todos os ingredientes das receitas. Outra alternativa é fazer ofertas em pizzas prontas industrializadas ou produzidas em sua loja.

Se quiser ir além, você pode organizar seu supermercado de forma a estimular a venda casada neste dia. Por exemplo: deixar as bebidas próximas ao setor de pizzas prontas. Uma ação como essa tende a elevar o ticket médio de compra dos clientes.

13/07 Dia Mundial do Rock
Se você já é um cliente Mercafácil, pode criar uma segmentação de quem comprou cervejas especias nos últimos 30 dias e disparar uma campanha de SMS com vendas casadas entre elas e os produtos de açougue. Nos seus canais de comunicação, vale lembrar da data também para estimular o engajamento com sua marca.

Uma ideia para atrair os clientes para a loja nesse dia, é realizar uma ação com food trucks e apresentações de rock com artistas locais em alguns horários do dia, no local escolhido para realização desse evento, você pode aproveitar para divulgar ofertas de produtos do próprio supermercado e estimular os clientes a comprarem mais.

Se quiser algo mais simples, manter uma playlist especial de rock durante o dia na sua loja é uma boa alternativa.

15/07 Dia do Homem
Sabemos que o público que mais compra no supermercado é o de mulheres. Porém, aproveitar essa data e valorizar a comemoração com ofertas exclusivas para os homens por meio da segmentação de gênero é uma boa opção, especialmente para estreitar o relacionamento.

A dica é usar as redes sociais e seus canais de comunicação para trabalhar o relacionamento. Você pode parabenizar os homens e divulgar cupons de descontos exclusivos para que eles sejam presenteados. Outra alternativa pode ser a divulgação de um encarte com produtos de perfumaria masculinos.

19/07 Dia Nacional do Futebol
A paixão nacional pode servir como estímulo às vendas, especialmente porque a primeira quinzena do mês de julho, será agitada com a etapa final da Copa do Mundo. Sendo assim, você pode começar a trabalhar a data com antecedência, aproveitando o gancho das finais da Copa.

Convém criar encartes especiais com itens que compõem a reunião entre amigos e familiares. Bebidas frias, açougue, mercearia, FLC (aperitivos), panificação (salgadinhos), cerveja, carne, pipoca, refri, costumam ser os produtos mais consumidos.

19/07 Dia da Caridade
Apoiar uma causa importante na sociedade torna a marca mais humana e a aproxima do consumidor. Por isso, a data pode ser uma boa oportunidade de trabalhar o posicionamento de marca.

Criar uma ação pedindo doação de roupas e brinquedos para serem levadas em uma instituição ou ser doadas para família carentes e pessoas de rua. Outra ação possível é oferecer descontos especiais em produtos de cesta básica. incentivo a doação de alimentos para pessoas carentes, que também podem ajudar os clientes a se mobilizarem ainda mais pela causa.

25/07 Dia do Colono
A data parece não ter muita força, porém você aproveitar para fazer uma ação de loja. A parceria com fornecedores pode gerar boas oportunidades para a realização de uma degustação de produtos coloniais na loja. Além disso, também é um dia benéfico para promover ofertas especiais no setor de produtos mais caseiros.

26/07 Dia dos Avós
Ótimo dia para estreitar a relação com seus clientes. Nas redes sociais ou em demais canais de comunicação, você pode produzir um conteúdo especial com uma receita de avó e aproveitar o gancho para divulgar um encarte especial com ofertas em produtos da receita.

Na loja, vale investir em uma comunicação especial nos produtos de panificação e confeitaria para atrair clientes, como “sabor de comida de vó”.

28/07 Dia do Agricultor
Um setor que tem destaque dentro das lojas deve ganhar ainda mais nesse dia. Você pode montar uma estrutura diferenciada no setor de FLV para chamar a atenção dos clientes e investir em bons preços para estimular o aumento nas vendas.

Nos seus canais de comunicação, você pode aproveitar a data para mostrar a qualidade dos produtos, qual caminho percorrem desde a saída das plantações até a loja, o cuidado com que são colocados em exposição, etc. Se você já possui a plataforma Mercafácil pode criar uma campanha segmentada com os consumidores que mais compraram FLV ou que estão sem comprar esses itens com o intuito de contribuir para o aumento do número de vendas e retenção de clientes.

 

Quer mais dicas de como alavancar suas vendas? Cadastre seu e-mail em nossa newsletter para receber primeiro as nossas novidades no próximo mês!

Saber o que acontece dentro de seu supermercado nesse exato momento é muito importante. Afinal, você precisa controlar processos e operações e entender como está o fluxo de vendas para avaliar melhor a estabilidade do negócio.

Porém, não basta se concentrar no presente. O futuro deve receber igual atenção e é neste momento que o planejamento a longo prazo entra em cena e proporciona uma melhor visão de todas as variáveis que podem impactar o negócio dali a algum tempo.

Mas por que esses aspectos fazem tanta diferença? Por que o planejamento a longo prazo é altamente relevante na rotina do supermercado? É o que você descobre agora, com a leitura deste artigo. Confira!

Como o planejamento a longo prazo pode ajudar nos negócios?

Não existe fórmula mágica para montar um bom planejamento a longo prazo. Ele deve ser periódico e estar sempre atualizado, mas precisa acompanhar a evolução do negócio para que seja sempre ajustado e continue rendendo bons frutos. Confira abaixo os principais resultados que podem ser alcançados quando ele está em dia.

Maior rendimento dos colaboradores

Planejar com antecedência permite encontrar fatores que prejudicam o negócio e corrigi-los o quanto antes. Muitos deles estão ligados ao desempenho e ao rendimento dos colaboradores. Portanto, caso seja verificado que existem lacunas de treinamento ou que a mão de obra não está totalmente capacitada, fica mais fácil definir soluções rápidas para que eles se preparem melhor. Com isso, o rendimento aumenta e, consequentemente, as vendas e a imagem do supermercado melhoram.

Melhores estratégias no dia a dia

Projetar o futuro amplia a visão de custos e investimentos necessários para o supermercado. A partir disso, é possível reconhecer a realidade atual do negócio, para que as estratégias se mantenham atualizadas, você possa inovar e mudar para surpreender a clientela. Novos diferenciais competitivos devem ser criados para se destacar da concorrência e se manter firme no mercado.

Quais as principais vantagens do planejamento a longo prazo?

Realizar um planejamento a longo prazo não deve ser visto como obstáculo ou perda de tempo. Graças a ele, é possível ter um melhor preparo para encarar qualquer impasse e evitar prejuízos. Mas não é só isso: aqui estão algumas outras vantagens que ele proporciona.

Evidencia pontos fortes e fracos

Assim como qualquer outro negócio, é natural que um supermercado tenha pontos fortes e fracos. Eles podem ser encontrados no atendimento, nos preços, na gestão dos clientes, na oferta de produtos e até mesmo em seu ambiente físico. Portanto, é fundamental identificá-los para realizar ajustes, reter e fidelizar clientes, sem deixar que o volume de vendas caia.

Identifica tendências de mercado

No mercado de atacado e varejo, é comum que as tendências se alterem a todo o momento. Afinal, o comportamento do consumidor muda com igual frequência, bem como suas necessidades primordiais. Sendo assim, é importante estar sempre atento a elas para identificar oportunidades e ameaças e saber como se posicionar diante delas. Além disso, aprender com o passado traz insights que contribuem muito para o negócio.

Consegue suprir a demanda

De nada adianta manter os negócios do supermercado em dia se você não consegue atender à demanda. O consumidor não deseja lidar com falta de estoque ou com produtos de baixa qualidade porque seus favoritos saíram de linha. Por isso, é importante sempre ter em mãos alternativas satisfatórias para atendê-los e para manter a imagem da marca em alta.

Viu só como o planejamento a longo prazo é importante no dia a dia de um supermercado? Se esse conteúdo ajudou você a compreender melhor a questão, fique por dentro de outros assuntos igualmente interessantes. Basta curtir a nossa página no Facebook e acompanhar as últimas atualizações!

Estar informado sobre as novas tendências é um bom insumo para ter mais engajamento com os seus funcionários e, consequentemente, mais vendas. A gamificação é uma dessas tendências.

Afinal, ela consegue fazer com que suas equipes aprendam com mais facilidade, além de despertar a motivação, fazendo com que todos trabalhem bem e tenham resultados cada vez melhores. Por fim, todos ganham.

Quer descobrir como fazer isso? Neste artigo, explicamos como a gamificação pode ser vantajosa para o seu varejo. Confira.

O que é gamificação

Primeiro, é importante entender o conceito de gamificação. Como o nome diz, é o processo de transformar algo em game, isto é, em um jogo. E a exemplo de todo jogo, ele precisa de regras, personagens, pontuações, ranking, prêmios, medalhas, etc.

Outras tecnologias, como aplicativos móveis, também podem ser usadas para deixar o processo ainda mais interessante. Seja como for, o objetivo principal da gamificação é fazer com que atividades rotineiras tornem-se divertidas, fazendo com que todos os envolvidos se sintam motivados a executá-las.

Como a gamificação pode ajudar as equipes no varejo

Agora começa a ficar mais fácil entender como a gamificação pode ser usada no crescimento de uma empresa. Afinal, imagine uma equipe que está entediada com as tarefas de rotina e as realiza sem nenhum contentamento.

A gamificação não apenas ajuda os membros da sua empresa a verem o trabalho de forma mais divertida como também a perceber que os resultados são benéficos a eles e ao negócio como um todo.

Isso é visto de forma mais clara no time de vendas, que, por si só, possui um perfil competitivo e acaba vendo na gamificação um estímulo a mais para ser o vencedor do jogo, aquele que tem melhor pontuação e está apto a ganhar o maior bônus do mês.

Quais são as vantagens da gamificação para o varejo

Você deve estar se perguntando como a gamificação pode lhe ajudar no varejo, certo?

Bom, em primeiro lugar, ela melhora a experiência do seu funcionário que está sob sua gestão. Afinal, trabalhar no varejo pode ser estressante. Se o membro da sua empresa conseguir enxergar as metas de forma clara, além de ver o trabalho sob uma visão divertida, objetivando conquistar as recompensas, ele vai se esforçar para ser o primeiro do ranking na sua empresa.

Além disso, os jogos têm a capacidade de envolver os jogadores, o que significa que sua equipe tende a ficar mais unida, com um espírito de colaboração muito maior entre os funcionários para alcançar metas e objetivos. Portanto, aplicar isso em um ambiente corporativo pode ser o caminho ideal para aumentar a produtividade.

Como aplicar a gamificação

Para começar um processo de gamificação do trabalho das suas equipes, a primeira coisa a ser feita é encontrar os problemas que precisam de solução e as metas que precisam ser alcançadas, pois esses serão os desafios e objetivos do jogo.

Em seguida, estabelecer as regras, os critérios de pontuação e os rankings. Uma opção também é a criação de personagens que serão representados pelos seus colaboradores, com nomes especiais, por exemplo.

O mais importante aqui é usar a criatividade na elaboração do jogo e procurar alguma plataforma para computar o andamento, atualizar o ranking e atualizar os participantes. Pode ser uma planilha online, um quadro no local de trabalho ou mesmo alguma ferramenta pronta, como sites de times em que você atualiza as partidas e pontuações. Também não se esqueça de escolher alguma premiação para a pessoa ou equipe vencedora. Certificados também são bem-vindos.

Está pronto para aplicar a gamificação na sua empresa? Já fez algum tipo de atividade assim? Então, deixe um comentário e conte como foi a experiência!