Author

Daniela Hendler

Browsing

Ter o seu próprio clube de fidelidade já é um grande passo para mostrar aos seus clientes que você se importa com eles. Porém, para que o clube tenha o sucesso esperado, é essencial que os seus consumidores saibam da existência dele. E então, como fazer para divulgar seu clube de descontos de maneira assertiva e que traga bons resultados para a sua marca?

É para te ajudar nessa missão que preparamos este material. Acompanhe! 

Como divulgar seu clube de descontos? 

Antes de tudo, só vamos reforçar o quanto pode ser importante para a sua marca ter o seu próprio clube de descontos. Segundo dados da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf), o número de cadastros em programas de fidelidade no Brasil cresceu 9,4% no segundo trimestre de 2019 quando comparado ao mesmo período de 2018. 

A pesquisa também revelou que as empresas que possuem esses programas registraram um aumento de 17% do faturamento nesse intervalo, movimentando R$ 1,9 milhão no segundo trimestre de 2019 contra R$ 1,6 milhão no segundo trimestre de 2018.

Esses dados nos mostram que:

  • Existem cada vez mais consumidores interessados em fazer parte de um clube de descontos exclusivo;
  • Empresas que oferecem esses benefícios obtiveram um aumento de receita e estão mais antenadas, seguindo as tendências do mercado. 

Ou seja: o clube de descontos é uma estratégia apreciada tanto pelos clientes, quanto pelas marcas. 

Tendo maior conhecimento disso, é hora de saber como divulgar seu clube de descontos da melhor maneira possível. 

3 dicas para divulgar seu clube de descontos 

1. Use seus canais (digitais e tradicionais) com maestria

Como canais digitais são amplos, vamos separá-los em tópicos:

Como divulgar seu clube de descontos nas redes sociais?

Para divulgar seu clube de descontos, lembre-se de falar dele de maneira corriqueira em suas redes sociais, fazendo com que essa informação seja sempre lembrada pelos seus consumidores. 

Além de fazer postagens mais institucionais explicando como funciona o seu clube de descontos e as vantagens que ele oferece para os seus clientes, – como o desconto imediato em certos produtos, – você pode fazer a divulgação de uma mercadoria da sua loja e sinalizar:

“Para clientes do nosso Clube de Descontos, esse produto sai de tantos reais por tantos reais”

Isso mostra, de maneira prática, concreta e direta a vantagem do cliente se cadastrar no seu Clube. 

Como divulgar seu clube de descontos via meios de comunicação diretos?

Além das redes sociais, você não só pode, como deve, divulgar seu clube de descontos via outros canais de comunicação mais diretos, como SMS, e-mail e notificação push, por exemplo.

Esses canais fazem uma comunicação direta assertiva com o seu cliente, tornando esse contato mais pessoal.

Como divulgar seu clube de descontos em outros meios de comunicação online? 

Ainda, você pode separar um espaço no seu site ou hotsite em para divulgar seu clube de descontos e explicar de maneira mais completa como ele funciona, quais são os benefícios para os clientes cadastrados, quais são os passos que o consumidor deve seguir para se cadastrar, entre outros.

Como divulgar seu clube de descontos por meio dos canais tradicionais?  

Além dos canais digitais, também pode ser importante divulgar seu clube de descontos pelos veículos de mídia mais tradicionais, como outdoors, panfletos, encartes e, em alguns casos, rádio e tv.

Caso você já faça uso desse formato de divulgação, lembre-se de acrescentar a informação do clube de descontos nesses materiais. 

2. Sinalize na sua loja 

É importante que o cliente saiba que o seu estabelecimento tem um clube de descontos exclusivo logo que ele chegar na sua loja. Por isso, não hesite em sinalizar essa “novidade” no:

  • Estacionamento;
  • Passarelas;
  • Entradas;
  • Pontos próximos ao caixa;
  • Espalhados em localizações estratégicas na sua loja.

3. Tenha uma equipe que saiba como divulgar seu clube de descontos

Todos os itens citados anteriormente são essenciais na hora de ter sucesso de divulgar o clube de fidelidade. Porém, se você não tiver uma equipe bem treinada, que saiba como estimular o cliente a se cadastrar no seu clube, você estará perdendo muito.

Por isso, é essencial contar com um time altamente engajado, que saiba na ponta da língua todas as características e vantagens do cadastro no seu clube de descontos. São os operadores de caixa e demais colaboradores que trabalham no supermercado que poderão “convencer” o cliente a se cadastrar no clube e, assim, fazê-lo decolar.

Neste cenário, nomear um funcionário para liderar o seu clube de ofertas pode fazer toda a diferença. É importante contar com alguém que:

  • Engaje os colaboradores a participarem do desenvolvimento do programa;
  • Incentive os profissionais a realizarem mais cadastros;
  • Estimule a divulgação do clube para torná-lo mais reconhecido.

Para ter sucesso nessas ações, que tal fazer uma ação de gameficação? 

Para incentivar os  os funcionários a cadastrarem e identificarem clientes no PDV, uma ação de gameficação, ou seja, de “campeonato”, pode aumentar o engajamento da equipe. 

Como prêmio, você pode dar um vale-compras ou um presente especial para o funcionário que obteve mais sucesso na hora de cadastrar mais clientes, por exemplo. 

Pronto para divulgar seu clube de descontos?

Gostou de saber um pouco mais sobre como ter sucesso na hora de divulgar o seu clube de Descontos? Ademais, ficou com dúvidas sobre o assunto ou, ainda, está em busca de ter o seu próprio clube de fidelidade? Então Entre em contato com um de nossos consultores e saiba como podemos te ajudar.

Para começar o ano com boas vendas, nada melhor do que conhecer as principais oportunidades de janeiro para o varejo, não é mesmo?

As campanhas sazonais devem fazer parte do planejamento do seu supermercado e, o quanto antes você conhecer as principais datas de cada mês, antes pode começar a desenvolver suas ações.

Aqui, para te ajudar a começar o ano com o pé direito, vamos trazer as oportunidades de janeiro para o seu supermercado. Entretanto, ao final do texto, você poderá baixar o nosso Calendário Promocional do Varejo – Edição 2021, material que traz todas as datas comemorativas do ano. 

Ideias de campanhas sazonais e as principais oportunidades de janeiro para vender mais

03/01 Super Saldão / Balanço de início de ano

Começar o ano movimentando a sua loja e oferecendo boas ofertas é uma ótima forma de atrair clientes – tanto novos quanto antigos – para o seu supermercado. Assim sendo, uma boa dia é liquidar os produtos que restaram no estoque após o final de ano, apostando em um super saldão. O que acha?

O início de ano traz consigo uma energia de “renovação”, então… Pode ser uma ótima oportunidade para você lançar o seu clube de descontos ou, então, fazer uma grande divulgação dele, caso ele já exista.

Ademais, aproveite o início do ano para apostar na atualização cadastral dos seus consumidores e, é claro, utilizar esses dados de maneira inteligente ao longo do ano. Como? Utilizando o software de Gestão de Clientes, que vai te auxiliar a compreender melhor o comportamento do seu consumidor e, assim, te ajudar a:Fazer ações de relacionamento mais assertivas;

Enviar as ofertas certas, para o cliente certo, na hora certa, pelo canal ideal. E muito mais!

04/01 Resgate de inativos de dezembro

Dezembro é um mês que costuma atrair muitos clientes para o varejo, principalmente por causa das festas de final de ano e do 13º salário. Ainda assim, é importante começar janeiro pensando em boas ações de resgate e reativação de clientes. Afinal, é possível, sim, que no final do ano, seus clientes tenham feito compras nos concorrentes.

Criar uma campanha voltada para esse público certamente pode contribuir para que os clientes que estão há um tempo sem comprar na sua loja voltem a fazer negócio contigo. É sempre bom lembrar que, para ações de reativação, as segmentações são o principal meio de obter os melhores resultados.

Para isso, é claro, você deve cadastrar e identificar os seus clientes. Se você já faz esse trabalho, fortaleça-o! Se ainda não faz,  agende um bate-papo com nossos especialistas e passe a incluir essa ação na sua estratégia.

Transformar dados de compra em ações de comunicação é uma tendência do mercado. Essa estratégia vem crescendo anos após ano e certamente pode fazer toda a diferença na sua loja.

06/01 Dia da Gratidão

Dentre as oportunidades de janeiro para o varejo, destaque para o “Dia da Gratidão”, que acontece logo no dia seis. A data é ótima para reforçar o relacionamento com os seus clientes e, também, promover uma ação interna com os seus colaboradores.

Ainda, que tal aproveitar e fazer uma postagem nas suas redes sociais enaltecendo o valor da gratidão? Ou então mandar SMS para seus clientes reforçando-os o quanto eles são importantes para a sua marca?

A data é uma ótima forma de humanizar a sua comunicação e tornar a sua marca mais próxima dos consumidores. Aproveite-a com assertividade.

15/11 Dia do Adulto

O Dia do Adulto pode ser usado para você criar campanhas segmentadas em diversos setores da sua loja. Uma boa dica é fazer algo do tipo “hora de relaxar na vida adulta”, com ofertas casadas, que podem fazer sentido para essa parcela do público. Por exemplo:

  • Promoção nas carnes e na cerveja… Afinal, relaxar na vida adulta pode estar relacionado com fazer churrasco com os amigos/família;
  • Ofertas em bebidas alcoólicas diferenciadas, como vinhos e destilados;
  • Até mesmo promoções em itens de limpeza, já que a vida adulta também traz a necessidade de cuidar da própria casa. 

Para ter sucesso na campanha, é importante lembrar de segmentar o público de acordo com seu perfil de compra. Assim, as chances de sucesso da ação certamente serão maiores.

24/01 Dia Nacional dos Aposentados  

Além do Dia do Adulto, outra das oportunidades de janeiro para o varejo é o Dia Nacional dos Aposentados. Então… Você sabe se muitos aposentados costumam frequentar a sua loja? Que tal, usando o seu software de gestão de clientes, saber melhor quem são esses clientes?

Uma opção é criar uma segmentação de acordo com a faixa etária e fazer uma campanha especial para esses consumidores. Identifique quais são as mercadorias preferidas dessa parcela de público e crie uma ação assertiva para o seu supermercado. 

Essa estratégia pode ser ótima para aproximar a sua loja dos clientes e, ainda, aumentar as suas vendas. Assim sendo, que tal criar um encarte com ofertas exclusivas para esses clientes e enviar um SMS do tipo:

“Hoje, no dia do aposentado, ofertas exclusivas apenas para voce que e cliente do clube de descontos do Supermercado XXX”

Se no cadastro dos seus clientes você tiver as informações da profissão do consumidor, a campanha segmentada pode ser ainda mais efetiva!

Além dessa campanha, lembre-se, é claro, de utilizar as suas redes sociais para fazer postagens sobre a data.

26/01 Dia da Gula

É claro que o Dia da Gula pode ser uma ótima data para você movimentar a sua loja ao final do mês, não é mesmo?

Que tal aproveitar essa oportunidade de janeiro para ofertar produtos deliciosos, que despertam a gula? Os setores de padaria, mercearia e panificadora podem ter um boom de vendas se você fizer uma ação estratégica na sua loja. 

Além disso, você pode aproveitar o dia para fazer brincadeiras e enquetes nas suas redes sociais. Por exemplo, para gerar engajamento nos seus stories, que tal fazer uma disputa entre comidas deliciosas e perguntando qual é o preferido dos seus clientes?

  • “Hamburguer x Pizza”; “Brigadeiro x Sorvete”; “Coxinha x Pão de queijo”, entre outros. 

Ao fim, é claro, você pode ressaltar que no seu supermercado o cliente encontra todas essas delícias fresquinhas esperando por eles.

Além das enquetes, as redes sociais também podem ser utilizadas para você postar receitas deliciosas e despertar a vontade do seguidor ir até a sua loja para comprar os ingredientes. Aproveite a data! 

30/01 Dia da saudade  

Para finalizar as oportunidades de janeiro no varejo, temos também o Dia da Saudade. A data pode ser ótima para você criar uma campanha de resgate de inativos e de clientes perdidos.

Dessa forma, veja em seu software de gestão de clientes quais são os consumidores que estão há pelo menos 30 dias sem comprar na sua loja e envie ofertas personalizadas para eles. Sempre, é claro, de acordo com o histórico de compras e gosto daquela pessoa.

Aproveite que é o Dia da Saudade e envie uma SMS com uma mensagem que tenha esse teor. Por exemplo:

“Hoje é dia da saudade e nós, do Supermercado XX, estamos sentindo sua falta. Veja as ofertas que separamos especialmente para você. Elas são válidas até amanhã [link]”

Essa ação pode trazer tanto aumento nas vendas como a reaproximação e a reativação de clientes. E o mais legal é que, utilizando um bom software de gestão de clientes, você saberá mensurar de maneira exata a taxa de sucesso da ação.

Muito além das oportunidades de janeiro para o varejo. Veja dicas para iniciar o ano com as vendas em alta

Todas essas dicas de ações e datas, quando bem trabalhadas, podem trazer bons resultados para a sua loja. Ademais, vale lembrar que todos os meses do ano são recheados com datas comemorativas. Ou seja: momentos ideais para você:

  • Aumentar suas vendas;
  • Estimular o cadastro de clientes no seu Clube de Descontos;
  • Fortalecer o relacionamento com o seu consumidor;
  • Tornar a sua marca mais forte, e muito mais!

Você já deve saber que apostar em uma comunicação recorrente com os clientes pode melhorar os seus resultados. Entretanto, para fazer isso de maneira assertiva, é essencial planejar como será a execução dessa estratégia.

O ideal é fazer um plano que contenha as datas que você irá fazer ações especiais e, também, qual será a verba investida em cada ação. Para isso, uma boa dica é criar um calendário promocional e definir as táticas utilizadas para o ano todo.

Pois então, que tal baixar agora mesmo o Calendário Promocional para 2021 que a Mercafacil desenvolveu para os varejistas? Com ele, você poderá começar o ano com o pé direito e, mais do que isso, manter esse ritmo durante todos os meses.

Quer saber mais sobre como aplicar essas ações na sua loja? Entre em contato conosco e conheça as nossas soluções personalizadas para o seu negócio.

Que tal estimular o aprendizado, a criatividade e inspirar-se nos grandes para levar novas ideias e ações para o seu negócio? Temos ótimas dicas de livros para varejistas que poderão servir como um guia ou trazer insights relevantes para a sua marca.

Sabemos, desde cedo, que a nossa vida deve ser composta pela união de diversos hábitos saudáveis. Entretanto, não estamos falando apenas de atividades físicas ou da alimentação, mas também de comportamentos que estimulam o pensamento, o desenvolvimento cognitivo e a aprendizagem contínua.

Neste cenário, a leitura ganha um espaço mais do que especial. Pensando nisso, selecionamos alguns livros para varejistas que podem fazer toda a diferença na sua rotina. Também, não hesite e compartilhá-los com a sua equipe ou, ao final do texto, deixar seu comentário sobre essas e outras obras relevantes para varejistas. Todo conhecimento deve ser compartilhado! 

Livros para varejistas: 7 obras que todo profissional da área deveria ler

1. A Loja de Tudo 

Você já deve ter ouvido falar sobre esse livro. Escrito por Brad Stone, ele é uma das dicas imperdíveis de livros para varejistas que querem inspirar-se e compreender o fenômeno que virou a Amazon.

A Loja de Tudo faz uma mistura da biografia de Jeff Bezos e da Amazon, trazendo informações dos próprios funcionários e executivos da Amazon, além de familiares e amigos de Bezos.

De maneira resumida, a obra é um relato completo e definitivo sobre a startup visionária, que apostou na internet e mudou para sempre a forma de consumir. De forma honesta, traz relatos sobre a companhia mais emblemática da era digital, assim como entrega um olhar mais pessoal sobre Bezos, o responsável por criar a Amazon.

Ao ler a obra, você verá, em detalhes, como Bezos criou a maior loja virtual do mundo. Também, saberá quais foram os seus grandes erros na empreitada e como ele virou o ícone que é atualmente.

Quem sabe, do livro, você poderá compreender melhor sobre a importância de oferecer a melhor experiência possível ao cliente e, também, a importância de acompanhar as tendências.

2. Arroz, Feijão e Varejo

Para dar continuidade a nossa lista de livros para varejistas, escolhemos uma obra nacional. Arroz, Feijão e Varejo, escrito por Caio Camargo, traz exatamente aquilo que o título sugere: o básico do dia a dia para o varejista brasileiro.

O livro, feito com capítulos independentes entre si, permite que o varejista leia a obra na ordem que preferir, sem que haja a necessidade se seguir uma leitura corrida. Em seu conteúdo, conta com uma excelente curadoria de materiais composta por artigos, entrevistas, notícias, dados e dicas de gestão selecionados a dedo pelo autor.

Ademais, o material é excelente para que o varejista mantenha os pés no chão e compreenda mais a realidade do setor. O autor mostra tudo aquilo que é importante para o empreendedor sobreviver e fazer sucesso com o seu negócio. 

3. Gestão de Custos no Comércio Varejista

Selecionamos também uma obra brasileira um pouco mais técnica, que fala de maneira mais profunda sobre a redução de custos e a gestão do varejo no cenário nacional. 

Escrito por Rodney Wernke, o livro Gestão de Custos no Comércio Varejista tem uma linguagem acessível. Ele traz diversos estudos de casos, exercícios de fixação,  exemplos numéricos e modelos de planilhas para aplicação prática do conteúdo. Ainda é enriquecido com textos complementares de fácil compreensão, que tornam o aprendizado mais completo.

Alguns dos tópicos que você poderá saber mais ao ler a obra são: 

  • Custo de compra e taxa de marcação para definir os preços
  • Melhores sistemas de controle de estoque, com a mensuração do prazo médio de estocagem, custo financeiro de estocagem e estoque excedente
  • Custos X benefícios de cada área da empresa
  • Ponto de equilíbrio operacional, econômico e financeiro
  • Relatórios de lucratividade de segmentos de mercado (mercadorias, linhas, setores, lojas e rede de lojas)
  • Aplicações da matemática financeira na gestão de custos,

E muito mais!

Dentre as nossas sugestões de livros para varejistas, esse traz uma ótima forma de aprender sobre assuntos mais técnicos e altamente relevantes para o dia a dia do profissional da área.

4. Faces do Varejo

Escrito por diversos autores, o livro Faces do Varejo traz, em cada capítulo, uma história contada por alguma personalidade importante do setor varejista.

Com muita pluralidade e inspiração, cada história é relatada de acordo com a experiência de vida de cada autor. Assim, o livro une diferentes pontos de vista e ideologias que, juntas, ajudaram a criar a indústria varejista no Brasil e fazer o que ela é hoje.

Os escritores aproveitam o espaço para revelar os principais desafios enfrentados em seu dia a dia. Também, compartilham seus fracassos, sucessos e experiências variadas que se deparam ao viver imersos ao varejo brasileiro.

É uma leitura obrigatória para os varejistas que querem se destacar em um mundo em constante evolução e que buscam por inspiração todos os dias.

5. Clientividade  – Como oferecer o que o seu cliente quer

Outro dos livros para varejistas que merece destaque é este: Clientividade – Como oferecer o que o seu cliente quer. A obra, escrita por Cézar Souza, traz conceitos essenciais para o varejo atual e foca em um grande tema: a importância de o cliente ser o foco das estratégias de uma empresa. Para o autor, os varejistas devem “aprender a respirar cliente no dia a dia”.

Com texto leve, bem-humorado, repleto de fatos reais, exemplos do cotidiano e ideias ousadas, o livro mostra como conquistar e fidelizar clientes de forma constante e rentável. Assuntos importante para os supermercadistas, não é mesmo?

6. Gestão de Marketing no Varejo

Dando continuidado às nossas dicas de livros para varejistas, selecionamos um que fala de marketing. Afinal, o marketing tornou-se ferramenta obrigatória para os varejos que não querem ficar para trás.

Assim sendo, no livro Gestão de Marketing no Varejo, escrito por Cláudia Buhamra Abreu Romero, você encontrará dicas, orientações, conceitos, definições e práticas de marketing. Sempre com um enfoque especial na gestão do varejo.

Recomendada tanto para quem já entende do assunto quanto para quem está começando a entender sobre marketing, a obra tem linguagem acessível e direta. Ademais, traz a vantagem de propor soluções imediatas para os negócios, o que pode ser de muito valor para os varejistas.

7. A Bíblia de Vendas

Para finalizar a nossa lista de livros para varejistas, escolhemos um que fala de forma mais direta sobre vendas. E, para isso, nada melhor do que ler A Bíblia de Vendas, de Jeffrey Gitomer. 

Considerado por muitas pessoas como o melhor livro de vendas já publicado, ele é uma das obras literárias mais vendidas no mundo há pelo menos 10 anos.

Nele, o autor traz os famosos 10,5 mandamentos de sucesso de vendas e traça, de forma bem humorada, o melhor caminho para se tornar o melhor vendedor. Com teorias e dicas muito bem explicadas e embasadas sobre o processo de vendas, o livro é essencial para os varejistas que querem saber como vender mais.

Ainda, o autor também traz uma análise profunda sobre os principais fracassos relacionados à vendas e, mais do que isso, os motivos pelos quais aconteceram essas falhas. Leitura obrigatória, hein? 

Por fim, gostou das nossas dicas de leitura para os varejistas? Já leu alguma dessas obras ou conhece outros livros que podem enriquecer o conhecimento dos profissionais da área?

Aproveite para deixar aqui embaixo o seu comentário e não esqueça de compartilhar esse material com outros varejistas. Assim, todos poderão conhecer boas dicas de leitura e aprender mais sobre o setor. 

Você já deve ter ouvido falar do Pix, o pagamento instantâneo brasileiro criado pelo Banco Central (BC) que funciona como uma “eletronização” do dinheiro, certo? Mas afinal, o que efetivamente é esta tecnologia e quais são as mudanças promovidas pelo Pix no varejo? É isso – e muito mais – que você vai passar a conhecer agora. Acompanhe!

O que é o Pix? 

Como citamos anteriormente, o Pix é uma “eletronização” do dinheiro. Sua principal característica é que ele permite que as transações financeiras aconteçam em tempo real, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Ou seja, não há nenhuma limitação de horário ou feriado que atrapalhe as transações feitas pelo Pix. O que já torna essa forma de movimentação financeira completamente diferente das conhecidas atualmente, como o TED e o DOC.

Para compreender o quão rápidas são feitas as transações do Pix: 

  • Em mais de 50% das vezes em que é utilizado, o Pix faz a transferência em até seis segundos. 
  • Em 99% das vezes em que é feita uma transação via Pix, ela demora até 10 segundos.

Prático, rápido e seguro, ele pode ser feito a partir de uma conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento pré-paga.

O Pix no cenário brasileiro e mundial

Segundo dados do Banco Central, logo no dia de lançamento (16/11), o Pix somou mais de 1 milhão de transações e foi o responsável por um total de R$ 777,3 milhões movimentados. Ainda, até o dia 25/11, o Pix no Brasil já teve: 

  • 88 milhões e meia de chaves cadastradas, sendo que, dessas, 84 milhões das chaves são de pessoas físicas e 4 milhões de pessoas jurídicas. 
  • Cadastro de 36 milhões e 200 mil pessoas físicas; 2 milhões e 300 pessoas jurídicas. 
  • No dia 25/11, foram feitas 2.4milhões de transações, que movimentaram R$2,8 bilhões.

Atualmente, cerca de 50 países já trabalham com o Pix, sendo que ele é incrivelmente forte em locais como a China, Canadá e Índia. Ademais, os dados observados no Brasil logo após o lançamento de ferramenta, mostram que ele tem tudo para movimentar o mercado nacional e abrir portas para outros produtos bancários. 

Assim sendo, o Pix, conforme conhecemos hoje, é apenas o início de diversos produtos e serviços financeiros que serão adicionados e aperfeiçoados com o passar do tempo.  

Também, vale ressaltar que, no Brasil, o Pix já foi aderido por 762 organizações, dentre elas os  grandes bancos (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú e Santander) e fintechs como Nu Pagamentos (Nubank), PagSeguro, PicPay e RecargaPay. 

E as empresas varejistas que não querem ficar para trás devem ficar por dentro dessas novidades e buscar instituições financeiras que ofereçam boas soluções a elas. Como a competitividade está alta – afinal, os bancos querem atrair e fidelizar seus clientes, – é hora de buscar pelas instituições que ofereçam as melhores soluções e negociar, junto a elas, para garantir essas novidades aos seus clientes.

Por que utilizar o Pix no varejo? 

Agora que você compreendeu um pouco mais sobre o que é esta nova tecnologia, é hora de entender os motivos de usar o Pix no varejo. Dentre os tópicos que podemos citar, destaque para o grande potencial que o Pix tem de: 

  • Melhorar a experiência dos usuários quando há a necessidade de fazer transações financeiras ou receber um valor;
  • Baixar o custo dos serviços bancários;
  • Aumentar a segurança nas transações financeiras;
  • Aumentar a eficiência e a competitividade no mercado;
  • Estimular a adesão à inovação e a eletronização do mercado e pagamentos no varejo;
  • Promover a inclusão e a democratização financeira; 
  • Preencher lacunas existentes nos pagamentos disponíveis atualmente à população, como, por exemplo, estar disponível todos os dias, o dia todo, independentemente de ser feriado ou “após o horário comercial”. 

Qualquer pagamento ou transferência que hoje é feito usando diferentes meios (TED, cartão, boleto etc.), poderá ser feito com o Pix, simplesmente com o uso do aparelho celular, sem custos.

Conhecendo as principais características do Pix

Outro ponto importante antes de passar a utilizar o Pix no varejo é compreender algumas das suas principais características. Afinal, são elas que tornam essa inovação financeira tão valiosa para o mercado. Assim sendo, é essencial ressaltar que o Pix é:

Barato

O Pix é gratuito para pessoa física pagadora e apresenta um baixo custo para os demais casos.

Rápido

Permite que as transações sejam concluídas em poucos segundos, o que faz com que o recebedor tenha acesso à essa quantia em tempo real. 

Ou seja: o varejista que implementar o Pix em seu supermercado terá uma nova forma de receber pelas compras de forma à vista. 

Fácil

Fácil de usar, o Pix exige apenas que a pessoa tenha o aplicativo mobile para fazer as transferências. Não é necessário ter todos os dados do recebedor – como era o caso de transferências via TED e DOC, em que é necessário ter uma ficha completa, com nome, CPF, instituição financeira, entre outros. Com o Pix, toda essa “burocracia” deixa de existir e as transações ocorrem de forma mais agilizada, segura e prática.

Além disso, vale lembrar que as transações de pagamento utilizando cartão de débito exigem uso de maquininhas ou instrumento similar. Com Pix, essas transferências podem ser iniciadas por meio do smartphone, sem a necessidade de qualquer outro instrumento. 

Seguro

O Pix tem a sua segurança garantida pelas tecnologias inovadoras de autenticação do Banco Central e, por estar sob o guarda-chuva da Rede do Sistema Financeiro Nacional, tem um mecanismo seguro e robusto para garantir a integridade das transações. 

Versátil

Multiproposta, pode ser usado para pagamentos independente de tipo e valor da transação, entre pessoas, empresas e governo.

Disponível

24 horas por dia, sete dias por semana, inclusive feriados.

Aberto

Estrutura ampla de participação, possibilitando pagamentos entre instituições distintas. 

Integrado

Informações importantes para conciliação poderão cursar junto com a ordem de pagamento, facilitando a automação de processos e a conciliação dos pagamentos.

Não há limite mínimo de valor

É possível fazer transações a partir de R$0,01 e, em geral, também não existe limite máximo de valor. Entretanto, vale lembrar que as instituições que ofertam o Pix podem estabelecer limites máximos de valor baseados em critérios de mitigação de riscos de fraude e de critérios de prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo.

A adesão ao Pix no varejo

As pessoas são resistentes à mudanças, mas gostam do que é mais fácil. Some a isso a importância de diversificar as formas de pagamento no seu varejo para mantê-lo mais competitivo. É neste cenário que o Pix ganha espaço.

Ele é tão fácil que, por vezes… Parece complicado! Afinal, como pode algo ser tão simples assim? Como uma transação financeira pode ocorrer de maneira tão agilizada, segura e sem taxas?

À primeira vista, isso pode assustar e, até mesmo, gerar certa resistência. Afinal, é uma grande mudança na forma de receber dinheiro e fazer transações. Porém, o esperado é que as pessoas percebam, em um curto espaço de tempo, o quão prático e seguro é o Pix.

Ainda, vale lembrar que, além de facilitar as transações financeiras, alguns dos pilares do Pix estão relacionados com a democratização e inclusão. São objetivos nobres que fazem com que essa nova tecnologia conquiste cada vez mais pessoas.

Quais os benefícios de os varejistas aderirem ao Pix? 

Além de todas as vantagens já citadas acima, com destaque para a melhora da experiência do consumidor, dos custos baixos, a rapidez nas transações e o ambiente aberto – que já são realmente atraentes – ao aderir ao Pix, o varejista poderá verificar:

Pix no Varejo: redução de custos de intermediação e recebimento mais rápido

No varejo, a transação à vista é feita por cartão de débito ou dinheiro. Porém, aqui, estamos falando sobre o cartão. Nesse tipo de transação, o dinheiro sai da conta do cliente na hora do pagamento e é destinada à conta do varejista.

Essa operação é feita por empresas de pagamentos e, assim, existe um processamento de dados, o que faz com que o pagamento seja efetivado, normalmente, em dois dias úteis.

Com o Pix, essa intermediação acaba. Assim, ao receber um pagamento via Pix, o dinheiro cairá na conta na hora. Isso também influencia nas taxas cobradas pelo operador financeiro, que devem ser muito menores do que as atuais cobradas na modalidade cartão de débito.

Ou seja, o varejista reduz seus custos, recebe o dinheiro mais rápido e, ainda, melhora a sua imagem perante ao público. Afinal, mostra que está atento às novidades de mercado e em busca das melhores soluções aos seus clientes. 

Para funcionar como deve, é importante ressaltar que o pagador deverá ter uma conta com um Prestador de Serviço de Pagamento (PSP), um celular e o aplicativo desse prestador instalado no aparelho.

Ah, ainda falando sobre as reduções de custos, para receber via Pix, não é necessária a utilização de máquinas de cartão, apenas um celular e o aplicativo. 

Entendendo as chaves do Pix

Algo que pode causar confusão ao explicar o Pix são as chaves. Afinal, como é possível uma pessoa ter mais de uma chave? Pois bem:

Para receber dinheiro via Pix você deve criar a sua chave. Essa chave pode ser criada à partir do seu:

  • CPF ou CNPJ
  • Número de celular
  • E-mail 
  • Chave aleatória – uma sequência alfanumérica gerada aleatoriamente que poderá ser utilizada por usuários que não queiram vincular seus dados pessoais às informações de sua conta transacional

Desses dados citados, os únicos que podem ser utilizados uma vez para a criação da chave são o CPF e o CNPJ, afinal, eles são únicos. Porém, uma pessoa pode ter diversas contas de e-mail, números de telefone e, ainda, criar algumas chaves aleatórias. Ou seja: é possível, sim, ter mais de uma chave Pix. Para isso, é só ter cuidado na hora de escolher qual chave você irá atrelar com o serviço financeiro que você mais usa.

O recomendado é atrelar o seu número de celular, CPF ou CNPJ àquela instituição financeira que você mais utiliza. Assim, o processo de transação será mais fácil.

Por exemplo: o recebedor cadastrou seu número de telefone celular para receber o crédito em determinada conta. Então, em vez de informar manualmente todos os dados, ele inclui apenas o número do telefone celular. Ao fazer um Pix, o sistema identifica as informações da conta do credor a partir dessa chave.

QR code estático X QR code dinâmico

O QR Code é o principal meio de pagamento no Pix. Funciona exatamente como um método QR Code, por um smartphone que mediará o processo lendo o código e enviando-o ao Pix. E existem duas formas de QR Code que podem ser utilizadas:

QR Code estático

O QR code estático é recomendado apenas para estabelecimentos muito pequenos, com um checkout, por exemplo. Ele reconhece o estabelecimento, mas não traz dados completos das compras. Com o QR code estático, quem coloca o valor final da compra é o próprio consumidor.

Por exemplo: o cliente foi até uma padaria que possui o QR code colado na parede. Aí, o cliente abre o aplicativo, lê o QR code e reconhece o estabelecimento. Em seguida, é papel do próprio consumidor digitar o valor da compra no aplicativo. Essa forma de pagamento é passível a erros humanos, por isso, só é recomendada para estabelecimentos pequenos. 

QR code dinâmico

Recomendado para tornar o processo de transação mais profissional, com o QR Code dinâmico cada compra gera um novo código com novas informações. Ou seja, cada checkout gera uma informação distinta e cada QR code traz informações do varejista e as informações do valor a ser pago ao mesmo tempo. Isso reduz o erro humano, facilita a checagem e o controle financeiro.

Nesse sistema, não é o cliente que digita o valor. Ele aparece de forma automática e, por isso, deve estar integrado com um bom software de gestão, que automatiza o processo de reconhecimento o QR code.

Um dos grandes pontos fortes de utilizar o QR code dinâmico é que ele permite que sejam adicionadas informações adicionais nas transações, como número da nota fiscal e demais dados. Também, ele traz um campo que chama “TXID”, que é igual uma sequência única de cartão de crédito. Ou seja: é mais um ponto de checagem para ter todas as informações necessárias para controlar o seu desempenho financeiro. 

Quero aderir ao Pix no varejo. O que devo fazer? 

Hoje, apenas as instituições de pagamento autorizadas pelo Banco Central poderão liquidar transações diretamente na plataforma Pix. Porém, como já falamos, atualmente 762 instituições bancárias já fazem parte desse “time”. Assim sendo, é essencial que os varejistas integrem-se, à essas empresas.

O primeiro passo é procurar sua fornecedora do software de PDV e entender como usar o Pix em seu software. Ele atende perfeitamente e fortalece as diretrizes de um bom software de PDV, ou seja, garante mais velocidade, segurança, simplicidade e experiência.

A nossa dica é: procure saber sobre o Pix e adapte sua loja para receber essa nova forma de pagamento o quanto antes. 

Lembre-se que o Brasil conta com cerca de 50 milhões de pessoas que não possuem conta em banco – ou seja, que utilizam apenas dinheiro. Em breve, essas pessoas poderão utilizar seus celulares para realizar pagamentos na sua loja. 

Dica extra 

Para compreender o Pix de maneira ainda mais completa, acesse o site do Banco Central do Brasil e, também, este documento completo que eles disponibilizam sobre essa nova tecnologia de pagamento.

E então, gostou de saber um pouco mais sobre o Pix no varejo? Então continue acompanhando o nosso blog e fique por dentro das novidades.

Você já colocou o seu cliente no foco da estratégia do seu supermercado? Acredite, essa ação é fundamental para fazer a sua marca crescer, aumentar as suas vendas e fidelizar seus consumidores. E é neste cenário que conhecer e passar a utilizar o CBM no seu negócio pode fazer toda a diferença.

Aqui no nosso blog já falamos muito sobre o CBM e como ele pode ser uma ferramenta ideal para o crescimento do seu supermercado. Mas afinal, o que efetivamente é o CBM e como ele chegou para revolucionar a forma a qual os varejos se relacionam com o seu cliente? É isso – e muito mais – que você vai compreender hoje. Acompanhe!

O que é o CBM?

CBM é a sigla para Consumer Behavior Management, que é traduzida como “Gestão de Comportamento do Consumidor”. Criado pela Mercafacil, o CBM é a verdadeira evolução do já conhecido CRM.

Mas qual a diferença entre eles? Olha só:

CRM: Customer Relationship Management, traduzido como “Gestão de Relacionamento com o Cliente”.

CBM: Consumer Behavior Management, traduzido como “Gestão de Comportamento do Consumidor”.

Ou seja, enquanto o CRM faz “apenas” a gestão de relacionamento com o cliente, o CBM realiza a gestão do comportamento do consumidor, oferecendo dados mais completos, detalhados e assertivos para o seu varejo.

Inclusive, o CBM une diversas ferramentas e tecnologias para trazer resultados tão assertivos. E, dentre as “peças” que o compõem, está o CRM. Isso mesmo!

Para chegar aos tão dados precisos sobre os consumidores do seu varejo, o CBM une Big Data, Analytics e CRM. Por isso, ele é uma solução mais completa, tecnológica e assertiva para o seu varejo.

Usando o CBM para compreender de vez o comportamento do seu consumidor

O CBM é a ferramenta ideal para fazer a gestão de clientes do seu supermercado. Isso porque, dentre suas formas de atuação, ele traz dados precisos que te mostram de forma detalhada o comportamento de compras do seu consumidor. 

Oferecendo diversos filtros e segmentações, o CBM ajuda o varejista a compreender quais produtos saem mais e em quais épocas. Além disso, o software oferece todo o histórico de compras dos seus shoppers, assim como o valor de ticket médio, número de cupons, e dados pessoais, como idade, sexo, endereço, entre outros.

Dessa forma, você passa a ter todas as informações que precisa para criar ações vencedoras e assertivas para atrair, conquistar e, principalmente, fidelizar os seus clientes. 

Colocando em prática os dados fornecidos pelo CBM 

É essencial ressaltar que o CBM é, sim, altamente completo e traz todas as informações que você, varejista, precisa para aumentar suas vendas e compreender o seu consumidor.

Dito isso, é fundamental que a sua equipe se debruce em cima destes dados e, a partir deles, crie ações diferenciadas para o seu varejo. Pense que os dados fornecidos pelo CBM permitem que você:

  • Compre para o seu supermercado produtos que realmente são desejados pelos clientes, evitando desperdício ou ruptura de estoque. 
  • Faça uma melhor negociação com a indústria, parceiros e fornecedores. Afinal, você pode mostrar para eles de maneira clara quais são os produtos que os seus clientes se interessam, dando insights valiosos para seus parceiros;
  • Descubra novas oportunidades para o seu negócio e saiba quais são seus pontos mais fortes e fracos; 
  • Faça ações de marketing e comunicação assertivas, entregando a oferta certa, para o cliente certo, na hora certa, pelo canal ideal;
  • Tenha um maior controle do seu supermercado, vendo, por meio de dados, quais ações estão funcionando, – assim como o que precisa ser melhorado, e muito mais.

Além disso, a ferramenta, quando bem utilizada, permite que você:

  • Aumente em 30% a retenção dos seus clientes;
  • Identifique até 95% dos seus clientes;
  • Garanta um ticket médio até 150% maior dos seus clientes fidelizados.

Incrível, não é mesmo? 

Clientes: os grandes beneficiados 

Você já deve saber que toda e qualquer estratégia do seu supermercado deve ser pensada para o cliente. Ele é o foco principal do seu negócio e o bem mais precioso da sua empresa.

E é por isso que o CBM acaba sendo uma ferramenta tão valiosa para as marcas. Afinal, ele coloca o cliente no centro de tudo e, a partir das informações adquiridas por ele, as empresas passam a desenvolver suas ações.

O resultado da sua utilização são:

  • Ações mais assertivas, que trazem maior taxa de fidelização e conversão para os supermercados. 
  • Clientes mais satisfeitos e com a sensação de serem valorizados pelas lojas em que fazem suas compras. 

Ou seja, o CBM é um ingrediente especial para um relacionamento duradouro e lucrativo entre empresa e cliente. E, mais do que isso, é essencial ressaltar que ele traz resultados quase que imediatos aos varejistas.

Hoje, mais de 1400 lojas ao redor do país já contam com o CBM da Mercafacil para fazer uma gestão de clientes mais completa e assertiva. Então, que tal passar a ter essa plataforma trabalhando a seu favor?

Marque uma demonstração gratuita com um dos nossos especialistas e surpreenda-se com as nossas soluções para o varejo.

Não há dúvidas de que o Natal de 2020 será diferente para todos. E isso afeta, e muito, a dinâmica do varejo.

É sabido que as festas de final de ano terão menos viagens e aglomerações. Também, como há uma maior preocupação com os gastos, a probabilidade de as ceias serem feitas em casa aumenta.

Entretanto, apesar dessas preocupações extras, o Natal mais “caseiro” deve ter muita decoração natalina e, também, os presentes não ficarão de lado. Ainda, há um maior significado na ceia, afinal, o ano foi atipico para todos e, aqueles que estarão ao redor da mesa, entendem todo esse significado.

Neste cenário, cabe aos varejistas compreender e ressignificar o Natal e demais festas de final de ano. É hora de adaptar-se às novas demandas e, é claro, surpreender os clientes, ajudando-os a garantir um Natal de 2020 memorável, mesmo em meio a tantas incertezas.

E é para te ajudar estar presente e a fazer diferença na vida do seu cliente neste momento que nós preparamos este material. Acompanhe!

O que podemos esperar do Natal de 2020 para o varejo alimentar? 

1. Alta no consumo de bebidas e carnes – principalmente aves 

Para o Natal de 2020, os dois setores que devem apresentar alto crescimento são os de bebidas e o de carne, principalmente aves.

De acordo com o site Consumidor Moderno, o consumo de álcool cresceu desde o início do isolamento, com destaque para o vinho, que atingiu máxima histórica no segundo trimestre do ano. Também, o portal Mercado e Consumo mostra que a venda online de bebidas alcoólicas cresceu 93,9% durante a pandemia. 

E, durante o Natal de 2020, as bebidas deverão continuar sendo um dos destaques para o varejo alimentar. Assim, é importante que o seu supermercado conheça muito bem os seus consumidores e saiba quais são as bebidas mais apreciadas por eles. Dessa forma, será possível ter um grande aumento de vendas no setor.

Porém, além das bebidas, também citamos que o consumo de aves deve aumentar neste período. Enquanto nos últimos anos estava sendo observado uma alta no consumo de carnes suínas, esse ano o destaque é para as aves, que apresentam uma produção alta e preço atrativo.

2. Compras antecipadas para o Natal de 2020

É possível que haja uma grande movimentação antecipada das compras para o Natal de 2020.

Inclusive, dependendo das ofertas que o seu supermercado ofereceu na Black Friday, é possível que alguns dos consumidores já tenham comprado alguns itens que não estragam até o Natal – como é o caso de certas bebidas, temperos, azeites, conservas, entre outros. E, caso eles tenham gostado do que viram, provavelmente irão fazer as compras de Natal na sua loja.

Mas não são só eles que irão até o seu supermercado e anteciparão as compras para o Natal de 2020. Sabendo dessa tendência, é muito importante que você prepare o seu estoque e a sua loja para atender às demandas do shopper. Como?

  • Buscando boas parcerias na indústria e com seus fornecedores;
  • Sabendo muito bem quem são os seus clientes e o que eles buscam no seu varejo, garantindo que esses itens não estejam em falta durante o período que antecede o Natal.
  • Preparando a sua equipe para uma possível alta na demanda, garantindo que todos estejam preparados para atender o público da melhor forma possível durante todo o mês de dezembro.

3. Vendas online/remotas em crescimento

Um estudo feito pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) apontou aquilo que nós já sabíamos apenas por meio da observação: os brasileiros passaram a comprar mais online e esse novo hábito deve se manter daqui para frente.

Assim sendo, conhecer os principais canais de venda disponíveis e estar presente em um – ou mais, – é essencial para o seu varejo não ficar para trás. Ademais, esse período pode ser ótimo para divulgar a sua presença nesses canais de venda alternativos e atrair ainda mais clientes para o seu varejo.

Quais os desafios que os varejistas vão enfrentar durante o Natal de 2020 – e como driblá-los?

Conhecendo muito bem o seu cliente

O primeiro passo para que o Natal de 2020 seja bom para o seu varejo é você conhecer muito bem o seu consumidor. E, para isso, é essencial deixar de lado os achismos e passar a conhecer e a compreender, por meio de dados, o comportamento do seu shopper.

Neste cenário, contar com uma ferramenta completa, que te ajude a entregar a oferta certa, para o cliente certo, na hora certa, pelo melhor canal pode fazer toda a diferença para o seu varejo.

Esse cuidado fará com que o seu cliente sinta-se importante e especial para a sua marca. Além disso, as chances de você fazer campanhas de marketing assertivas, que tragam alto retorno sobre o investimento, são muito maiores.

Ademais, tendo uma ferramenta como o CBM (Consumer Behavior Management, traduzido como “Gestão de Comportamento do Consumidor”) da Mercafacil, além de você criar o seu próprio clube de descontos, você tem chances de:

  • Aumentar em 30% a retenção dos seus clientes;
  • Identificar até 95% dos seus clientes;
  • Garantir um ticket médio até 150% maior dos seus clientes fidelizados.

Ou seja: passando a conhecer melhor os seus clientes, tanto o seu varejo quanto os seus consumidores saem ganhando.

Utilizando a tecnologia e suas ferramentas a favor do varejo

Acima, citamos o CBM como uma forma de enfrentar os desafios que o Natal de 2020 traz para o varejo. Porém, além desta ferramenta, não hesite em aproveitar demais facilidades que a tecnologia e a inovação oferecem para o seu negócio.

Saiba que os consumidores estão preparados para a tecnologia. Cabe a você, como varejista, conhecê-la e utilizá-la da melhor forma possível para o seu negócio.

Pense que a tecnologia serve para aproximar o seu relacionamento com o seu cliente sem que seja necessária a aproximação física. Também, ela facilita o controle e a gestão do seu varejo e, ainda, pode ser uma grande aliada na hora de oferecer diferentes formas de pagamento ao seu cliente.

Ou seja, a tecnologia é uma grande aliada para o presente e para o futuro do seu negócio. Além disso, a busca por soluções tecnológicas deve estar presente na cultura do seu varejo. 

Fazendo campanhas assertivas – tanto aquelas que envolvem descontos, quanto aquelas de relacionamento

Outra maneira muito importante de aproveitar ao máximo o Natal de 2020 no seu negócio é criar campanhas assertivas, pelos canais ideais, que vão de encontro com aquilo que o seu cliente espera da sua loja. Você pode – e deve! – utilizar:

  • Desde os meios de comunicação pessoais, como e-mail, WhatsApp, Push e SMS;
  • Até os “gerais”, como redes sociais, site, canais mídia tradicional, encartes, para divulgar suas campanhas.

Como o Natal de 2020 será comemorado em casa por muitas pessoas, que tal desenvolver um material especial, com receitas, dicas de decoração e de presentes para o seu cliente?

Ademais, vale ressaltar que este tópico traz aquilo que citamos nos anteriores: a importância de conhecer os seus clientes e de utilizar a tecnologia a seu favor.

Assim, unindo esses dois pontos, você terá maior conhecimento e capacidade para realizar ações de Natal que tragam os resultados esperados para o seu varejo.

Por fim, se você está em busca de criar o seu próprio clube de descontos, aumentar o seu faturamento e fazer uma gestão de clientes eficiente, com foco em resultado, você está no lugar certo.

Conheça as soluções personalizadas que a Mercafacil traz para o seu varejo e surpreenda-se com os resultados quase imediatos. Ficou interessado? Então agende agora mesmo uma demonstração gratuita com um dos nossos especialistas e conheça nossas soluções. 

Como é a relação do seu supermercado com os produtos premium? Sabemos que, à primeira vista, o termo “produtos premium” pode assustar. Entretanto, você sabia que 33% dos lares brasileiros são propensos a comprar mercadorias dessa categoria?

Os dados são do estudo “Valor Além do Preço”, feito pela Nielsen, que também revela que consumidores que tendem a comprar a linha premium estão presentes em todas as classes sociais.

Assim sendo, preparamos este material para te mostrar tudo o que você precisa saber sobre esses itens, pensando na melhor forma de incorporá-los do seu mix de produtos. Confira!

Produtos premium: qualidade e atributos que vão além do preço

É sempre importante ressaltar que ser premium vai além do preço. Ou seja, os produtos premium são aqueles que incorporam qualidade e costumam trazer uma performance superior aos demais.

Eles oferecem vantagens e benefícios que justificam um investimento financeiro maior. E, é claro, existem pessoas dispostas a desembolsar mais dinheiro caso os produtos compensem.

Abaixo, separamos algumas dicas que podem te ajudar a incorporar os produtos premium no seu mix de produtos e, assim, oferecer mercadorias diferenciadas para os seus clientes. Confira! 

Formas de incorporar produtos premium no seu mix de mercadorias

1. Oferecer embalagens de tamanhos menores 

Por serem itens costumeiramente mais caros, uma boa dica para o seu supermercado é oferecer produtos premium em tamanhos menores. Por exemplo, quem nunca viu uma embalagem da batata Pringles menor? Ela sai por um preço mais barato e, ainda assim, causa uma sensação positiva ao cliente. Afinal, ele sabe que acabou de adquirir um produto premium.

É claro que esse é apenas um exemplo, mas ele pode ser replicado em diversas mercadorias premium. Às vezes o produto premium é o “luxo” da compra, e esse luxo não precisa vir em “tamanho família”. Basta suprir desejos naquele momento ou, mais do que isso, fazer com que o cliente tenha a possibilidade de conhecer marcas que ele acreditava que eram inacessíveis.

2. Saber o que o seu cliente busca

É muito importante você saber o que o seu cliente procura quando está fazendo compras no seu supermercado. Neste cenário, você fazer uma boa gestão de clientes e conhecer de maneira mais completa o seu consumidor é fundamental.

Contando com um software completo de CBM (Consumer Behavior Management – Gestão de Comportamento do Consumidor), como é o caso da ferramenta da Mercafacil, por exemplo, você tem acesso ao histórico de compras e de todo o perfil de cada cliente cadastrado. 

Assim, você pode segmentar os seus clientes até descobrir quais são aqueles que costumam comprar carnes de primeira no seu açougue com uma boa frequência. Feito isso, que tal mandar uma oferta exclusiva para eles, via SMS, convidando-os para conhecer cortes de carne premium?

De acordo com dados do site Consumidor Moderno, no Brasil, “são consumidas cerca de 200 mil toneladas/ano (entre importações e produção nacional) de carnes especiais, com um crescimento de 20% ao ano na última década”. Você tem aproveitado esse nicho no seu supermercado?

Ps: novamente, assim como no tópico superior, esse é apenas um exemplo de como você pode estimular o consumo de produtos premium pelo seu cliente. Lembre-se sempre de conhecer o perfil do seu consumidor e, a partir disso, segmentar suas campanhas e desenvolver suas ações.

3. Escolher bem os produtos premium que você vai oferecer no supermercado

Existem aqueles produtos que você precisa oferecer opções variadas, apostando em diversas marcas. Vamos pegar um exemplo que o Leandro Rosadas deu no blog dele, o exemplo do detergente. Assim sendo, na sua loja é importante você ter em seu mix: 

  • O detergente premium, ou líder, que é a marca que mais sai na sua região – e pode ser aquele com o preço mais alto.
  • Também, é importante ter o detergente de linha econômica, que apresenta uma qualidade tão boa quanto o líder, mas tem um valor mais baixo. 
  • E, por fim, o detergente “de combate”, que é mais barato e apresenta uma qualidade inferior, mas é bem mais barato/vem em quantidades maiores. 

Como o detergente é um produto de uso diário e existem pessoas que dão muito valor para a marca, talvez seja importante você oferecer o premium do segmento. 

E é claro que esse exemplo pode ser seguido para outros produtos também, como azeite de oliva, refrigerantes, café, arroz, macarrão instantâneo, outros produtos de limpeza, pasta de dente, entre outros.

Entretanto, para os produtos da curva C – ou seja, de menor saída, – talvez não seja necessário você oferecer os produtos premium, econômicos e de combate. Nestes casos, é importante avaliar o que faz mais sentido para a sua loja e para os seus clientes. Ou seja, avaliar financeiramente quais oferecem um melhor custo benefício e são queridos pelo seu consumidor. 

Como fazer isso? Novamente, utilizando um software de gestão de cliente, que faz com que você compreenda melhor o comportamento de compra dos consumidores e entenda quais são os produtos que ele valoriza e busca no seu supermercado.

Apenas para exemplificar, alguns dos produtos de curva C que citamos acima, podem ser as alcaparras e demais conservas, adoçantes, geleias, sal, entre outros. 

Como é a saída dos produtos premium no seu varejo?

Com certeza você oferece produtos premium na sua loja. O que queríamos mostrar, nesse texto, são boas formas de talvez incorporar outras mercadorias dessa categoria e, ainda, desmistificar a ideia de que apenas pessoas das classes mais altas consomem esses produtos. E então, o que você acha sobre o assunto? Deixe aqui a sua opinião!

Ah, e é claro, caso você queira contar com a plataforma líder em Gestão de Clientes do Brasil para te ajudar a compreender os seus clientes e manter suas vendas sempre em alta, aproveite para marcar uma demonstração gratuita com um dos nossos especialistas e surpreenda-se com as soluções da Mercafacil para o varejo.

Saber como comprar melhor é uma estratégia essencial para supermercados que desejam gastar menos e gerar mais lucro. E quem não quer alcançar esses objetivos, não é mesmo?

E é para te ajudar a alcançar essa meta que nós preparamos este material para você. Confira boas dicas para comprar melhor, saiba quais são as principais características e habilidades que o profissional responsável pelas compras deve ter e muito mais. Acompanhe!

A importância de comprar melhor

De forma resumida, quanto melhor for feita a compra para o seu supermercado, mais dinheiro você tem capacidade de ganhar.

Isso acontece porque a compra bem feita ajuda a evitar tanto a ruptura de estoque quanto a perda de produtos por encalharem. Afinal, você terá a quantidade ideal de mercadorias na sua loja.

Além desses fatores, comprar melhor vai fazer com que você encontre produtos para a sua loja com melhores preços e condições, otimizando o seu dinheiro e te ajudando a garantir mais lucro para o seu negócio.

3 dicas para comprar melhor

1. Ter um bom software de gestão de clientes

A tecnologia é sua grande aliada. Neste cenário, contar com um bom software de gestão de clientes é uma das melhores – se não a melhor! – dica para o seu supermercado comprar melhor.

Isso acontece porque uma boa compra só será considerada boa compra se ela realmente for desejada pelos seus clientes. Ou seja, de nada adianta você comprar muitas unidades de um mesmo produto apenas porque o preço dele está bom. Afinal, isso pode apenas fazer com que ele encalhe em sua loja e você se veja obrigado a se “desfazer” dele por um preço baixo, sem muita margem de lucro.

Compreendendo isso, fica mais fácil para você ter noção da importância de contar com uma ferramenta poderosa, como o CBM (Consumer Behavior Management – Gestão de Comportamento do Consumidor) da Mercafacil, por exemplo. Atuando como uma verdadeira evolução do CRM, o CBM traz dados precisos que te mostram de forma detalhada o comportamento de compras do seu cliente. 

Com ele, você passa a compreender quais produtos saem mais e em quais épocas. Além disso o software oferece todo o histórico de compras dos seus consumidores, assim como o valor de ticket médio, número de cupons, entre outros.

Essas informações permitem que você compre o que realmente precisa, sem que haja desperdício ou que faltem produtos importantes.

2. Pesquisar de forma incansável 

Agora que você já sabe o que o seu cliente busca, é hora de pesquisar e encontrar as melhores soluções, preços e condições para o seu varejo comprar melhor.

Acompanhe com frequência a variação de preços das mercadorias, e, também, não hesite em usar um software e a tecnologia para te ajudar a manter este controle em dia. Esse é um trabalho diário e, quando bem feito, pode resultar em boas condições e em muita economia para o seu negócio.

3. Fazer parcerias de valor – muitas vezes, com grandes supermercados

É comum que os supermercados maiores façam compras de acordo com o seu tamanho. Assim sendo, é possível os supermercados menores aliarem-se aos maiores para fazer compras com melhores preços.

Por comprar mais, o supermercado maior costuma conseguir melhores negociações. Além disso, tem uma maior variedade de produtos que pode muito bem ser aproveitada pelo seu varejo.

Para seu supermercado comprar melhor, tenha um bom comprador

Além dessas três dicas, também é importante ressaltar que, para comprar melhor, a sua loja deve ter um profissional responsável por essas ações. De acordo com Leandro Rosadas, especialista em supermercados, o ideal é que a cada R$ 3 milhões de faturamento, a sua loja tenha um comprador especializado. Também, ele ressalta que o profissional que atua como comprador deve:

  • Ter conhecimento de produtos, sistemas tecnológicos e números – ou seja, conhecimento técnico;
  • Saber como negociar de forma assertiva com fornecedores e parceiros;
  • Ter um bom relacionamento com os vendedores.

Mais do que isso, outras habilidades e ações imprescindíveis para o responsável pelas compras é: saber como fazer uma boa pesquisa antes de fechar negócio, ser organizado e minucioso na hora de efetivar as compras.

Também, nós acreditamos que o bom comprador deve olhar para o seu supermercado como um todo. Conhecer bem os clientes e o que eles desejam, saber o que faz sucesso na sua loja, ser visionário e buscar tendências que vão dar certo. Assim, ele gera mais lucro para o seu negócio.

Para colocar em prática uma boa estratégia de comprar melhor para o seu supermercado, que tal utilizar a ferramenta líder em gestão do comportamento dos clientes no Brasil? Com ela, você compreenderá cada um dos seus consumidores e, assim, terá uma possibilidade maior de acertar em cheio nas suas compras. Ficou interessado? Então agende uma demonstração gratuita com um dos especialistas da Mercafacil e surpreenda-se.

Você já está fazendo o seu planejamento para 2021? Pois chegou a hora de debruçar-se no calendário do próximo ano e começar a definir como será 2021 para o seu negócio. 

Sabemos que 2020 pegou todos nós desprevenidos. Os varejistas se viram obrigados a adaptar o seu negócio “no susto”, sem um planejamento prévio ou operações prontas para lidar com as novas demandas. Porém, 2021 tem tudo para ser diferente.

Afinal, já estamos mais adaptados à tal “nova realidade”. Também, passamos a conhecer melhor as tendências e comportamento dos consumidores que vieram para ficar, assim como as preferências dos clientes na hora de fazerem as compras.

De acordo com informações do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar) divulgados pelo InfoMoney, existem três grandes tendências do varejo que vieram para ficar e devem receber um destaque no seu planejamento para 2021.

Planejamento para 2021: 3 tendências do varejo que vieram para ficar

Mais do que compreender estas tendências, é importante que você saiba como interpretá-las e como desenvolver ações que estejam em sintonia com elas. Estamos falando de: 

1. “Faça você mesmo” e consumo local 

Depois de passar mais tempo em casa devido à pandemia, e, também, das possíveis restrições financeiras impostas pelo Covid-19, o consumidor passou a fazer seus próprios produtos – e ele gostou desta ideia. O prazer do “faça você mesmo” voltou à rotina  e deve permanecer como uma tendência para o ano que vem.

Além desta tendência, a escolha por consumir produtos vendidos localmente e de forma segura também é algo que veio para ficar. O consumidor atual valoriza os micro e pequenos empreendedores locais. E essa valorização não se deve apenas pela comodidade de fazer suas compras em um local perto de casa, mas também por sentir que está ajudando a economia da região.

Para corroborar ainda mais essa nova tendência, vale destacar que, segundo dados divulgados pela SA Varejo:

  • 72% dos consumidores estão comprando mais em lojas de bairro;
  • Lojas de vizinhança cresceram 10,1% do início do ano até a metade de junho, na comparação com o mesmo período de 2019.

2. Slowlife e consumo crítico/colaborativo

“Slowlife” ao pé da letra significa “vida devagar”. Este conceito está relacionado com o novo ritmo da vida adquirida com a pandemia e com a eliminação daquilo que não é essencial. 

A chegada do Covid-19 fez com que o consumidor desenvolvesse uma visão mais analítica sobre aquilo que ele consome e, também, a repensar algumas das suas necessidades. Há o aumento da valorização de experiências do que de itens.

Há uma mudança de pensamento da vontade de “ter o bem” para “ter acesso ao bem”. O Uber é um exemplo disso: você abre mão de ter um carro (um bem), para ter acesso a ele (a partir do uber e demais aplicativos que facilitem o deslocamento).

3. Redes sociais, interação remota e digitalização

As redes sociais já vinham desempenhando um papel importante para o varejo e, com a pandemia, sua função tornou-se ainda mais valorizada. Assim sendo, ao pensar no seu planejamento para 2021, é essencial dar um papel de destaque para esses poderosos canais de comunicação e de “vitrine” para o seu varejo. Falaremos mais disso logo abaixo. 

Agora que você sabe quais são três fortes tendências de consumo para o próximo ano, é hora de começar o planejamento para 2021 no seu varejo. 

Planejamento para 2021: como aproveitar essas três tendências no seu varejo?

Conheça o seu cliente

O “Consumo local”, que citamos lá no primeiro tópico, está diretamente ligado com o atendimento personalizado que você, e somente você, oferece ao seu cliente. E, para isso, é essencial que você conheça-o e saiba muito bem como atendê-lo e tratá-lo.

Para isso, além de apostar em um atendimento impecável na sua loja, é hora de contar com a tecnologia para te ajudar nessa missão. Sim, a tecnologia não só pode, como deve, estar no seu planejamento para 2021. E cabe a você saber como utilizá-la das maneiras mais proveitosas para o seu supermercado.

Um bom investimento é passar a contar com um software de gestão de clientes para o seu negócio. Essa ferramenta faz com que você compreenda de forma mais precisa e assertiva quem são os seus consumidores.

Assim, você passa a entender a maneira a qual eles se comportam, o que desejam quando vão até a sua loja, qual o ticket médio das compras, entre outros. Você identifica o seu faturamento e cria o seu próprio clube de descontos, fidelizando e valorizando o seu cliente.

Valorize a região

Falando em valorização, outro ponto importante para o planejamento para 2021 é compreender que o varejo de proximidade está em alta. Então… Aproveite!

Que tal buscar parcerias com outras empresas da região? Estamos falando desde fornecedores para o seu supermercado, até academias, lotéricas, salões de beleza, lojas, pet shops, gráficas, entre outros. Entenda o seu papel na região em que está localizado e ajude a torná-la mais rica.

Assim, além de atrair os consumidores que moram e/ou trabalham por perto, você também terá maior capacidade de chamar atenção daqueles que não costumam estar sempre presentes na região, mas que estão curiosos para conhecer o seu varejo.

Use os canais de comunicação e redes sociais de maneira inteligente 

Suas redes sociais são extremamente poderosas. Além delas, canais de comunicação como o e-mail, WhatsApp e SMS, e ferramentas como o chatbot (assistente virtual) e o Push também devem ser exploradas pelo seu varejo e fazer parte do seu planejamento para 2021.

Além de divulgar informações mais “óbvias” e relacionadas apenas com a venda de produtos – como o encarte do seu supermercado, por exemplo, – você pode usar seus canais de comunicação para estreitar o relacionamento com o seu cliente, conhecê-lo melhor e, até mesmo, ensiná-lo.

Por exemplo, conforme citamos no início do texto, o “Faça você mesmo” está em alta. Assim sendo, já pensou em criar uma série nas suas redes sociais em que você ensine o seu consumidor a fazer artigos por conta própria? Você pode fazer vídeos tutoriais, carrossel de fotos ou, até mesmo, incluir um “faça você mesmo” em um dos seus encartes. No fim, você ressalta que todo os produtos utilizados podem ser encontrados na sua loja.  

Explore este universo! Você pode sugerir desde receitas diferentes, passando por brinquedos feitos à partir de itens recicláveis, enfeites para casa, quadros decorativos, porta-retratos, vasos de flores, entre outros! Assim, você está incentivando o seu cliente a colocar em prática a criatividade e, em alguns casos, até auxiliando-o a criar uma nova fonte de renda. Sirva de inspiração, o seu negócio tem este poder! Basta saber como aproveitá-lo.

É hora de fazer o planejamento para 2021 

Agora você já sabe um pouco mais sobre algumas das tendências de consumo que vieram para ficar. Então, que tal começar a fazer o seu planejamento para 2021 e oferecer destaque para elas?

Ademais, lembre-se de que a Mercafacil está aqui para te auxiliar neste processo. Entendemos que cada cliente é diferente buscamos te ajudar a compreender e a fidelizar cada um deles. Ficou interessado? Então conheça as nossas soluções completas para o varejo. Agende uma demonstração gratuita com um dos nossos especialistas e surpreenda-se.

Você já ouviu falar nas estratégias de sell in e sell out no varejo?

Acredite: conhecê-las e saber como utilizá-las para guiar suas compras, campanhas e ações pode ser de grande auxílio na hora de potencializar as suas vendas. Também, são ações que permitem que você tenha um maior controle e gestão de todo o seu supermercado. Importante, não é mesmo?

Dessa forma, para te auxiliar a compreender um pouco melhor esses conceitos, preparamos este material. Pode até ser que você já coloque algumas dessas estratégias em prática e nem saiba disso. 

E então, vamos ver o que são as ações de sell in e sell out no varejo?  Acompanhe!

Mas afinal: o que é sell in e sell out? 

Sell in e sell out são duas ações que podemos chamar de complementares, pois fazem parte do mesmo processo. Para compreender melhor:

Sell in

É quando a indústria/fornecedor/fabricante vende seus produtos para um canal de distribuição – como o seu varejo, por exemplo.

Ou seja, o sell in está relacionado com a compra das mercadorias que você fará para o seu supermercado. O objetivo, é claro, é sempre contar com fornecedores e distribuidores que ofereçam preços e condições favoráveis ao seu negócio. Porém, de nada adianta você ter um ótimo estoque de produtos se eles não são adquiridos pelos seus clientes, certo?

Isso pode desencadear em produtos encalhados, que geram prejuízos e perdas para o seu negócio.

Sell out

O sell out, por outro lado, é o nome que se dá para a venda final e direta do seu negócio para os seus clientes. Para calculá-lo você avalia a quantidade do tempo que determinada mercadoria demora para sair da sua loja e ser adquirido pelo cliente.

Por exemplo, produtos com bom sell out são aqueles de alto giro, sempre requisitados pelos clientes e que não podem, em hipótese nenhuma, estar em falta no seu varejo.

Utilizando o sell in e sell out em sintonia perfeita

Você já compreendeu que o sell in consiste na compra de mercadorias para o seu varejo, enquanto o sell out consiste na venda destes produtos para os clientes, certo? Com isso em mente, é hora de você compreender a importância de ter essas duas estratégias sempre caminhando de forma alinhada, lado a lado. 

Mas como fazer isso? Pois bem…

O sell out deve guiar o sell in

Sim, é isto mesmo. 

O que deve guiar as compras para o seu supermercado é a saída destas mercadorias.

Afinal, de nada adianta você encontrar um fornecedor que ofereça um preço incrível por um produto se esse ítem não faz sucesso entre os seus consumidores. É claro que é importante aproveitar oportunidades que surgem ao longo da gestão do seu supermercado, porém, é mais essencial ainda fazer as suas ações baseadas em dados, e não em achismos/impulsividade.

Assim sendo, lembre-se que a projeção das ações de sell in devem ser proporcionais ao que o seu varejo projeta com o sell out. Caso as vendas de determinada mercadoria aumentem, você revê o abastecimento – ou seja, o sell in – e o faz em maior quantidade ou frequência.

O ideal é que esta dinâmica seja sempre mantida e esteja em sintonia. E, para isso, pode ser essencial contar com um bom software de gestão no seu varejo.

Você pode buscar por uma plataforma que una em um só lugar várias informações e dados relevantes para evitar situações incômodas para o seu supermercado, como:

  • Produtos que encalham – quando o sell in é mal feito;
  • Mercadorias que ficam em falta, gerando a ruptura de gôndola – que acontece quando o sell out é mal projetado.

Entenda que a tecnologia é sua melhor amiga e veio para ficar. Ao invés de lutar contra, busque nela boas soluções para você diferenciar-se dos seus concorrentes e potencializar as ações do seu varejo. E é esse pensamento que nos leva ao próximo tópico. 

Usando a tecnologia para guiar suas ações

A tecnologia traz ferramentas vitais para você ter um bom controle do seu varejo. Um exemplo de sucesso é o CBM (Consumer Behavior Management – Gestão de Comportamento do Consumidor) da Mercafacil. Com ele, você passa a ter dados completos e assertivos sobre todo o comportamento de compra do seu consumidor.

Assim, com esse conhecimento em mãos, a chance de você acertar nas compras para o seu estoque e, também, de desenvolver ações de marketing para divulgar as suas mercadorias, aumenta de forma exponencial.

Ou seja: com este software você potencializa as suas estratégias de sell in e sell out e, ao mesmo tempo, passa a conhecer de maneira mais profunda os seus consumidores. Você compreende:

  • As preferências de compras do seu cliente – marcas preferidas, produtos que compram com mais frequência;
  • Os dias do mês em que costumam fazer compra;
  • A quantidade de vezes que este cliente costuma frequentar a sua loja em determinado período – mensal, semanal, entre outros;
  • O ticket médio de cada compra;
  • Faixa etária, sexo, estado civil, onde moram, etc.

Com todas essas informações e dados coletados pelo CBM, é hora de você desenvolver estratégias eficientes e assertivas de sell in e sell out. Aproveite este conhecimento para garantir que o seu estoque esteja sempre adequado com a intenção de compra dos seus clientes, evitando o encalhamento ou a falta de produtos. E, mais do que isso, capriche nas ações de marketing, ressaltando que você oferece tudo aquilo que o cliente precisa. 

Por fim, lembre-se de que a Mercafacil está aqui para te auxiliar neste processo. Entendemos que cada cliente é diferente e, assim, buscamos te ajudar a compreender e a fidelizar cada um deles. Ficou interessado? Então conheça as nossas soluções completas para o varejo. Agende uma demonstração gratuita com um dos nossos especialistas e surpreenda-se.